Pub

Mapa_autarquico_2013O PS venceu ontem as eleições autárquicas no Algarve, ficando com 10 das 16 câmaras da região e retirando ao PSD o estatuto de força mais votada, que a CDU também abalou com a conquista do município de Silves.
O PSD tinha ficado com nove das 16 autarquias algarvias em 2009 e agora perdeu quase metade dos municípios, tendo sido derrotado em Loulé, Lagoa e Alcoutim, câmaras ganhas pelo PS, e em Silves, município onde a CDU alcançou a sua única vitória no Algarve e causou uma das surpresas da noite.

Apenas em Faro o PSD conseguiu – em coligação com o CDS-PP, MPT e PPM – manter a presidência, com o vice-presidente Rogério Bacalhau a derrotar o candidato socialista Paulo Neves e a capitalizar o trabalho dos últimos quatro anos ao lado de Macário Correia, cujo processo judicial sobre a perda de mandato por alegados licenciamentos ilegais de obras particulares em Tavira o levou a não procurar a reeleição.

Em Loulé, autarquia que era liderada pelo social-democrata Seruca Emídio há 12 anos, o PS conquistou a câmara com Vítor Aleixo, candidato derrotado em 2005 e que já presidiu ao município entre 1999 e 2002, após a saída do então presidente Joaquim Vairinhos para o parlamento europeu.

Já em Lagoa, o candidato social-democrata era o presidente da Câmara, José Inácio Eduardo, que procurava a reeleição para um terceiro mandato mas viu o objetivo ser travado por Francisco Martins, que levou o PS a conseguir quatro dos sete mandatos em disputa, ficando os outros três para o PSD.

Em Alcoutim, o PS, liderado por Osvaldo Gonçalves, recuperou um município que era controlado pelo PSD desde 1993, sempre sob a presidência de Francisco Amaral, que irá nos próximos quatro anos presidir ao município vizinho de Castro Marim, após ter garantido a sucessão do atual autarca e seu colega de partido, José Estevens.

Estevens, que também estava em limite de mandato em Castro Marim, tentou uma candidatura ao município de Tavira, mas o eleitorado preferiu manter a aposta no socialista Jorge Botelho, reconduzido para um segundo período de quatro anos.

Mas um dos destaques da noite eleitoral no Algarve vai para a CDU e para a lista encabeçada por Rosa Palma, que derrotou o candidato do PSD e atual presidente da Câmara de Silves, Rogério Pinto, ascendido à presidência já com o mandato na sua fase final, após a saída da presidente, Isabel Soares.

Em Aljezur e Vila do Bispo os respetivos presidentes, José Amarelinho e Adelino Soares, deram novas vitórias ao PS, enquanto em Lagos e Portimão as presidências foram mantidas, mas com Isilda Gomes e Maria Joaquina Matos, respetivamente, sucedendo a Manuel da Luz e Júlio Barroso.

O mesmo aconteceu com os socialistas António Pina e Vítor Guerreiro, que mantiveram as câmaras de Olhão e São Brás de Alportel para o PS.

O PSD conservou o município de Vila Real de Santo António com maioria absoluta, mas o presidente da distrital social-democrata do Algarve, Luís Gomes, viu o número de eleitos reduzir-se de seis para quatro, permitindo ao PS eleger dois vereadores e à CDU um.

Em Monchique e Albufeira, Rui André e Carlos Eduardo Sousa também mantiveram as autarquias para o PSD.

Pub