Pub

Durante a apresentação dos candidatos do Bloco de Esquerda aos órgãos autárquicos de Faro, que decorreu no sábado à noite num café do centro da cidade, Vítor Ruivo afirmou pretender que o “primeiro ano do próximo mandato seja o ano de conhecer as reais dificuldades da população farense”, desde as necessidades alimentares à saúde, transportes e lazer.

O candidato do BE à Câmara, que cumpriu dois mandatos na Assembleia Municipal, defendeu a renegociação dos empréstimos da autarquia com a banca e sublinhou ser “indispensável a remunicipalização da FAGAR [Faro, Gestão de Águas e Resíduos]”, argumentando pela necessidade da criação de uma entidade intermunicipal para gestão das águas.

O BE apresenta como candidato à Assembleia Municipal o professor universitário José Moreira, à Junta de Freguesia do Montenegro o gestor ambiental Carlos Brito e à União de Freguesias de Faro o professor reformado Augusto Taveira.

Entre as medidas avançadas pelos candidatos do BE é proposta a constituição de “uma equipa de emergência social como estrutura coordenadora do conjunto de entidades públicas e particulares do concelho, com vista a garantir as medidas necessárias a esse objetivo prioritário”.

Para além disso, é defendido estímulo ao “desenvolvimento local e criação de emprego” através de, por exemplo, apoio às “atividades locais agrícolas e do mar” e da criação de uma bolsa de terras destinada a hortas.

Os candidatos do BE pretendem, ainda, “promover a participação cidadã”, algo que Augusto Taveira realçou, assinalando o “défice de participação dos munícipes nas assembleias [de freguesia]”, onde as “cadeiras reservadas ao público estão às moscas”.

Lusa

Pub