Pub

Bloco_esquerda_bandeirasO coordenador do Bloco de Esquerda (BE) acusou na sexta-feira o ministro da Saúde, Paulo Macedo, de “dar cobertura” ao administrador do Centro Hospitalar do Algarve (CHA), responsabilizando ambos pela degradação dos serviços hospitalares da região.

“O que é estranho nisto tudo é que o ministro da Saúde continua a dar cobertura a este Conselho de Administração, porque é difícil acreditar que são centenas de profissionais que estão enganados e não meia dúzia de administradores, para não dizer o Dr. Pedro Nunes”, afirmou.

O coordenador do BE falava à Lusa após uma reunião com alguns dos médicos que em janeiro subscreveram uma carta a denunciar a degradação dos serviços de saúde naquele centro hospitalar, documento assinado por 80% dos médicos especialistas dos hospitais de Faro, Portimão e Lagos.

“Não se percebe porque é que o ministro da Saúde protege o Dr. Pedro Nunes em vez de proteger o Centro Hospitalar do Algarve”, reiterou, sublinhando que se aquele governante continuar a “proteger” Pedro Nunes, é tão responsável quanto ele pela degradação dos serviços hospitalares na região.

Para João Semedo, médico de profissão, “autoritarismo” e “prepotência” que caracterizam as atitudes do administrador do CHA “já caíram em desuso”, o que leva o coordenador do BE a afirmar que Pedro Nunes “está 40 anos atrasado” e que é “um homem de outro tempo”.

O dirigente do BE, que está a fazer um roteiro da saúde pelo país, observou que, apesar de ter encontrado problemas noutras zonas de Portugal, não se deparou com nenhum outro centro hospitalar onde o ambiente interno fosse tão hostil como aquele que viu no Algarve.

Pub