Pub

Festa_s_vicente_2016 (8)
Foto © Samuel Mendonça

O bispo do Algarve disse hoje em Vila do Bispo que “só quem vive e celebra a dimensão do perdão é que pode crescer como pessoa humana no relacionamento fraterno”.

Na eucaristia da solenidade de São Vicente, patrono da Diocese do Algarve, a que presidiu esta manhã na igreja matriz, D. Manuel Quintas pediu aos algarvios que incluam a dimensão do perdão na vivência da dimensão do martírio.

“Dizemos que só perdoa quem ama. Só o amor é gerador do verdadeiro perdão e talvez nos falte essa dimensão a nível humano também”, afirmou o prelado, lembrando um pedido de Francisco. “Devemos crescer nesta consciência da grandeza do amor de Deus por nós que se exprime através do perdão”, recordou.

D. Manuel Quintas aludiu à capacidade perdão, acolhimento e aceitação das “fragilidades e limitações”. “Faz parte da grandeza do ser humano pedir perdão e perdoar. Renunciamos, sem mais, a essa dimensão que é tão importante? Quem tem oportunidade de perdoar e de pedir perdão é como se renascesse”, advertiu, acrescentando que “o perdão rejuvenesce interiormente porque se apoia no amor que é fonte de vida e harmonia interior, de paz”.

O bispo diocesano lembrou ainda que o presente Ano Santo da Misericórdia é “um ano especial” em que os cristãos são “alertados” para a importância do acolhimento do dom do perdão. “Tal como Deus nos perdoa – e perdoa sempre porque nos ama sempre e nunca se cansa de nos perdoar – também nós devemos perdoar-nos uns aos outros”, afirmou, sublinhando que importa ser fraterno, mais do que solidário. “Ser solidário aproxima-nos dos outros, mas ficamos cada um para seu lado. O fraterno não, compromete-me logo com o outro. Considera o outro, não apenas alguém a quem eu sinto uma vontade muito grande de ajudar, mas um irmão que eu devo apoiar em todas as situações e dimensões”, justificou.

Pub