Pub

O bispo do Algarve visitou na passada quinta-feira a ‘Missão País’ promovida pelos estudantes da Universidade do Algarve (UAlg) no concelho de Alcoutim.

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

As academias promotoras da ‘Missão País’ expandiram-se este ano e, a sul, o projeto conseguiu ir para além de Évora e chegar até à UAlg.

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

Na quinta-feira, D. Manuel Quintas rezou o terço com os missionários ao final da tarde na ermida de Nossa Senhora da Conceição e presidiu à eucaristia que ali se seguiu. “Com a minha presença quero, acima de tudo, manifestar o meu regozijo por ser possível realizar esta missão da Universidade do Algarve e também deixar-vos uma palavra de estímulo e de força”, começou por referir aos 41 participantes.

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

Lembrando a sua experiência missionária em Moçambique durante dois anos, sensivelmente com a mesma idade daqueles jovens, o prelado garantiu-lhes que “o retorno que se recebe é profundamente compensador e é uma experiência que deixa marcas”.

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

Na eucaristia, o bispo do Algarve exortou os estudantes à “sabedoria daqueles que têm sempre no seu coração lugar para Deus e lugar para os outros”, “aqueles que não vivem a autossuficiência e, sobretudo, que não pautam a sua vida pela competição”. “Este critério, de certa maneira, vale muito para quem realiza experiências como estas que vós estais a realizar”, prosseguiu.

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

D. Manuel Quintas disse-lhes que ser missionário implica sempre um duplo “sentido de quem dá e quem recebe”. “Aquele que anuncia, ao mesmo tempo recebe aquilo que anuncia”, sustentou, lembrando também que “os missionários não são donos daquilo que anunciam”. “São mensageiros. A mensagem é de Jesus”, esclareceu, exortando os universitários a “deixar que Cristo faça parte do caminho e deixar que seja Ele a missão”. “Nós somos apenas missionários, enviados, Ele é que é o anunciado, o conteúdo da própria missão, a mensagem que anunciamos”, acrescentou.

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

Por fim, D. Manuel, que também jantou com os missionários, agradeceu a cada um por terem decidido participar naquela iniciativa. “É preciso um bocadinho de coragem e um bocadinho de força de vontade, sobretudo daqueles que não conheciam ainda. Obrigado pela vossa decisão. Estou certo que tirareis frutos dela”, concluiu, convidando os voluntários para a eucaristia que celebrará com eles pelas 18h na próxima quinta-feira, 13 de fevereiro, na igreja de São Pedro, em Faro.

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

A ‘Missão País’, levada a cabo de 2 a 9 de fevereiro por 41 estudantes (incluindo oito chefes), na sua maioria, da UAlg, foi acompanhada pelo padre Nuno Tovar de Lemos, sacerdote jesuíta a trabalhar na Diocese do Algarve, e pelo diácono Tomás Castel-Branco, do Patriarcado de Lisboa.

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

A ‘Missão País’ é um projeto católico criado em 2003 a partir do Movimento Apostólico de Schoenstatt (embora hoje seja independente) que organiza e desenvolve missões universitárias a partir de várias faculdades de Portugal. São semanas de apostolado e de ação social que decorrem durante três anos consecutivos no período de interrupção de aulas entre o primeiro e o segundo semestres, divididas em três dimensões complementares – externa, interna e pessoal – em que o primeiro ano consiste no “acolhimento”, o segundo na “transformação e o terceiro no “envio”.

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

Quarenta e um estudantes da UAlg levaram a cabo em Alcoutim a primeira ‘Missão País’ daquela academia

Pub