Inicio | Política | Calendário desportivo municipal de Faro em risco após chumbo de proposta da maioria

Calendário desportivo municipal de Faro em risco após chumbo de proposta da maioria

O calendário de atividades desportivas municipais em Faro pode estar em risco no próximo ano letivo após o chumbo, pela oposição, de um novo concurso público para a concessão de serviços desportivos, alertou hoje a autarquia.

O executivo, liderado pela coligação PSD/CDS/MPT/PPM/PAN, apresentou na última sexta-feira, em Assembleia Municipal, uma proposta de renovação da concessão dos serviços desportivos – através do lançamento de um novo concurso público – que foi chumbada pelo PS, PCP e BE.

Em declarações à Lusa, o presidente do município, Rogério Bacalhau, disse que sem a concessão dos serviços desportivos “será muito difícil manter o nível de resposta no próximo ano letivo”, havendo o risco de cancelamento de diversas atividades, nomeadamente, aulas de natação nas piscinas municipais.

“Utilizamos este modelo há cinco anos e o concurso era exatamente para garantir o que já existia, não é uma coisa nova”, esclareceu, acrescentando não conhecer câmaras municipais no Algarve que consigam assegurar a totalidade destes serviços internamente.

Em causa está uma proposta de lançamento de um novo concurso público para a concessão de serviços desportivos na área da docência nos projetos Escola de Natação, Sénior Ativo e utilização livre das piscinas municipais, entre outros.

Numa primeira votação da proposta houve um empate, com 15 votos contra e 15 a favor, mas o voto de qualidade do presidente da Assembleia Municipal, o socialista Luís Graça, acabaria por decidir a votação.

Em declarações à Lusa, Luís Graça argumentou que as piscinas “não são um negócio privado” e defendeu a manutenção do atual modelo, em que a Câmara tem a gestão direta do espaço e vai contratualizando aqueles serviços com clubes e associações.

“A Câmara de Faro tem legitimidade para manter o modelo de funcionamento até hoje, mas não pode entregar a piscina a privados”, sublinhou o também presidente do PS/Algarve.

O cancelamento de 103 turmas de natação, com 2.760 praticantes inscritos, a redução dos horários de abertura das piscinas e do Centro Náutico para utilização livre, atualmente com 17 mil utentes, são algumas das consequências do chumbo da proposta, enumerou a autarquia em comunicado.

Por outro lado, acrescenta, é expectável uma redução da capacidade de receber a totalidade dos alunos do primeiro ciclo no projeto escolar “Saber Nadar” (980 crianças) e o fim do projeto “Sénior Ativo”.

A autarquia diz ainda que um total de 22 funcionários ao serviço das anteriores concessões deverão ficar no desemprego.

Verifique também

Governo garante que chumbo do Tribunal de Contas não deixa EN125 em “vazio legal”

O ministro do Planeamento e das Infraestruturas garantiu ontem que o chumbo do Tribunal de …

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.