Breves
Inicio | Política | Câmara diz que nova ponte da praia de Faro não deve avançar este ano porque ainda não há financiamento

Câmara diz que nova ponte da praia de Faro não deve avançar este ano porque ainda não há financiamento

A nova ponte da praia de Faro, cujo projeto está pronto há anos, não tem ainda financiamento garantido e por isso a obra não deverá avançar em 2017, disse na terça-feira à Lusa o presidente da Câmara de Faro.

“Enquanto o financiamento não estiver garantido, o Conselho de Administração da Polis não pode lançar concurso e ainda estamos à espera que o Governo faça o trabalho de casa”, disse Rogério Bacalhau, frisando que desde dezembro que a autarquia aguarda a aprovação de um protocolo com o Estado.

Segundo o autarca, que na segunda-feira esteve reunido em Assembleia Geral com a Sociedade Polis Litoral Ria Formosa, enquanto o acionista Estado não aprovar o protocolo de financiamento, o município não pode desencadear os procedimentos burocráticos para o lançamento do concurso, pelo que, “dificilmente haverá obra em 2017”.

O projeto para a obra – que vai custar 2,8 milhões de euros e cujo prazo de execução é de 18 meses -, está pronto desde 2012, altura em que Macário Correia (PSD) ainda presidia à autarquia.

Contudo, já em 2008, o seu antecessor, José Apolinário (PS), apontava a obra de construção de uma nova ponte como uma das prioridades do programa de regeneração urbana e ambiental Polis para Faro.

A Câmara de Faro vai contribuir com 20% do custo da nova ponte, tendo já inscrito no orçamento municipal uma verba de 560 mil euros para esse efeito, referiu Rogério Bacalhau.

A próxima Assembleia Geral da Polis Ria Formosa – composta pelo Estado como acionista maioritária e pelos municípios de Loulé, Faro, Olhão e Tavira – deverá realizar-se em abril.

“Pedimos [os municípios] para que a próxima assembleia fosse no prazo de um mês e que nos próximos 15 dias o Governo nos enviasse os protocolos”, concluiu.

A nova ponte, que substituirá a atual, de 1957, terá uma faixa de sentido alternado para a circulação automóvel – com a possibilidade de funcionamento de duas faixas, em caso de emergência -, uma faixa para bicicletas e outra para circulação pedonal.

A atual ponte, que será demolida após a construção da nova, foi alvo de obras de reabilitação na década de 1990, mas não foram efetuadas intervenções nos pilares e nas estacas.

Do projeto global de intervenção nos acessos à praia de Faro, apresentado em 2012, está já em funcionamento desde o ano passado um parque de estacionamento exterior e um passadiço de madeira com ligação à praia.

Verifique também

Mário Nunes é o candidato da CDU à Câmara de Alcoutim

O empresário agrícola Mário Nunes vai encabeçar a lista da CDU à Câmara de Alcoutim, …