Pub

A câmara refere em comunicado que o encaixe destas verbas são "de extraordinária importância para o atual momento financeiro" e que, da operação, "fazem parte sete lotes de terreno dispersos no concelho e todos eles têm em comum o facto de permitirem a edificação de equipamentos de utilização coletiva".

Esta operação junto do mercado/investidores prevê a formalização das propostas até ao dia 26 de julho (até às 16:00), adianta o município.

Seis dos lotes destinam-se a equipamentos coletivos na Lejana (estrada Senhora da Saúde), no Chelote (Campina), na Rua José Pedro Machado (Gambelas), na Rua 25 de Abril (Montenegro), na Rua Moncarapacho (Estoi) e no Sítio da Igreja (Santa Bárbara de Nexe) e as respetivas bases de licitação perfazem, no conjunto, um valor de 1.322.710 euros.

O outro é uma parcela de terreno destinada à construção de um equipamento hoteleiro de quatro estrelas com vocação desportiva, situada no “Complexo Desportivo da Penha” (Av. Cidade Hayward, Faro), e tem uma base de licitação de 2.389.208 milhões de euros.

Em outubro de 2010, o presidente da Câmara, Macário Correia admitiu à Lusa que era necessário e urgente um empréstimo na ordem dos 50 milhões de euros à banca para conseguir o reequilíbrio financeiro a prazo da câmara.

A Assembleia Municipal de Faro aprovou em novembro a proposta de plano de reequilíbrio financeiro da autarquia e a consulta à banca para um pedido de empréstimo de 48 milhões de euros.

Macário Correia disse à Lusa em maio que a câmara previa levar 16 terrenos e edifícios a hasta pública para encaixar 12 milhões de euros a “curto prazo", entre eles os sete lotes agora postos em licitação.

Lusa
Pub