Pub

A obra "consistirá na total requalificação da frente marítima, abarcando uma área de nove hectares", com o projeto a contemplar a construção de parques de estacionamento subterrâneos com capacidade para acolher mais de 800 veículos automóveis e à superfície e um passeio para espaços comerciais e de lazer, refere a autarquia.

"O projeto aprovado ao consórcio de empresas Adriparte, Casais, Eusébios, ACA e Incanor terá um forte impacto económico. O investimento previsto é de 40 milhões de euros, sendo que serão criados 120 postos de trabalho diretos, 150 indiretos e 300 na fase de construção, com um impacto previsto de 0,7 do PIB [Produto Interno Bruto] algarvio. Está previsto que a obra se inicie no primeiro semestre de 2011", adianta.

Ainda segundo o presidente da Câmara, Luís Gomes, com esta renovação “Monte Gordo será um forte pólo de atração turística e dará um impulso importantíssimo na promoção económica do concelho”, nomeadamente com a criação de postos de trabalho.

Fonte da câmara disse à Lusa que a obra que a autarquia deverá iniciar no primeiro semestre de 2011 "já foi aprovada em sessão de câmara e na Assembleia Municipal, faltando apenas formalizar a sua adjudicação" ao consórcio público-privado.

A parceria "permitirá dar início à obra de Requalificação Ambiental e Urbanística da zona marítima de Monte Gordo", sendo que o projeto foi realizado pelo arquiteto catalão Ricardo Bofill, "escolhido pelo consórcio para projetar toda a requalificação do espaço, que irá modificar por completo o rosto de umas das zonas turísticas mais importantes da região".

Entre as obras mais conhecidas de Boffil estão o Palácio Municipal de Congressos de Madrid, o Hotel W em Barcelona ou o Edifício Shiseido em Tóquio, frisou a autarquia.

Lusa

Pub