Pub

A Capelania da Universidade do Universidade do Algarve (UAlg) promoveu na quarta-feira uma homenagem aos alunos daquela academia, cujos funerais se realizaram hoje.

No início da edição desta semana da iniciativa ‘Quartas com Cristo’, os dois estudantes, Rui Camilo Queiroz e Pedro Pestana Girão Leal Paço, falecidos na terça-feira à noite em consequência do despiste de uma viatura ligeira na estrada do aeroporto em Faro, foram lembrados.

“O nosso Pedro e o nosso Rui, dramaticamente embora, passaram para a outra banda da vida, mas continuam a viver. E, de tal forma, que nós também continuamos a viver a vida deles porque somos parte de um todo que é a espécie”, afirmou o capelão da UAlg, lembrando que “a morte é uma contradição, não deveria existir”.

“A morte contradiz o princípio da vida. Nós não nascemos para morrer. Nós nascemos para viver. Portanto, a morte é um acidente. Esse acidente não devia acontecer. Mas estamos a falar de uma morte biológica e não uma morte da pessoa. E nós, que temos o privilégio de ter fé, conseguimos projetar a vida para lá daquilo que nós conhecemos”, afirmou o cónego Carlos César Chantre, na abertura do encontro que teve como convidada a escritora Lídia Jorge que também lamentou a ocorrência.

Os funerais dos jovens estudantes realizaram-se hoje em Faro, o de Pedro Leal na igreja dos Capuchos, pelas 11h, e o de Rui Queiroz na igreja de São Luís, pelas 15h30.

A UAlg decretou três dias de luto académico, solidarizando-se com o “momento de tristeza” pelo falecimento dos alunos e o reitor veio, “em nome de toda a comunidade académica, manifestar publicamente o mais profundo pesar pelo falecimento” dos alunos da licenciatura em Gestão da ESGHT – Escola Superior de Gestão, Hotelaria e Turismo.

Pub