Pub

Carlos_azenhaO treinador Carlos Azenha foi ontem apresentado como novo técnico do Portimonense, clube que orientou na época 2010/2011, sucedendo a Vítor Maçãs, que continua ligado ao clube algarvio, oitavo classificado da II Liga portuguesa de futebol.

“Vítor Maçãs deixa de ser treinador, mas ficará ligado ao clube, embora não tenham sido ainda definidas as suas novas funções”, indicou em conferência de imprensa o diretor-geral da Portimonense Futebol SAD, Nuno Ferreira.

Carlos Azenha, de 48 anos, regressa ao clube algarvio que orientou na I Liga, entre 29 de dezembro de 2010 e 14 de fevereiro de 2011, com o registo de quatro derrotas e um empate, deixando o clube na altura no último lugar da classificação.

Segundo Azenha, a decisão de regressar a Portimão “foi rápida e inesperada, tendo sido tomada com base no projeto apresentado pela direção e na boa relação mantida com o clube”.

“Existe um projeto aliciante e mais abrangente do que subir de divisão, o que me levou a aceitar o desafio”, destacou Azenha, acrescentando que “a subida de divisão não foi imposta como uma obrigatoriedade, mas sim como um desejo de todos”.

O treinador reconhece que tem uma “missão difícil pela frente, com a fasquia colocada muito alta”, ao assumir a equipa no nono lugar da classificação da II Liga, com 40 pontos, a seis dos lugares que dão acesso à promoção e sem vencer há quatro jornadas consecutivas.

“Estou preparado e motivado para enfrentar este desafio e começar a trabalhar”, afirmou Carlos Azenha, escusando-se a revelar a duração do contrato que o liga ao clube algarvio.

Entretanto, a SAD do Portimonense confirmou a cedência a um clube local do médio ofensivo japonês Mu Kanazaki, que se encontra no seu país devido a “problemas de ordem pessoal”, devendo ser cedido a um clube local.

Kanazaki, o melhor marcador da equipa algarvia, com nove golos, tem contrato com o Portimonense até 2017.

Pub