Breves
Inicio | Igreja | Carmelo Missionário algarvio assinalou Festa de Santa Teresa de Jesus com vigília de oração

Carmelo Missionário algarvio assinalou Festa de Santa Teresa de Jesus com vigília de oração

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

A comunidade algarvia das Carmelitas Missionárias tinha apresentado o convite para uma vigília de oração na capela da sua casa e foram 14 as participantes que o aceitaram, incluindo duas pertencentes ao Carmelo Missionário Secular.

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

No passado domingo, véspera da festa de Santa Teresa de Jesus, fundadora do Carmelo Descalço, também conhecida como Santa Teresa de Ávila (Espanha), reuniram-se ao início da noite no Carmelo Missionário, em Faro, para rezarem com aquela “doutora da Igreja”.

“Nós, hoje, somos convidadas também a deixarmo-nos guiar por esta mulher”, explicou a irmã Leonor Bernardino no início da oração subordinada ao tema “Beber na fonte de água viva”. “Esta grande mulher do século XV, mas que continua a ser atual para nós hoje e, sobretudo, para o Carmelo”, acrescentou a carmelita missionária, lembrando que Teresa de Jesus “é uma referência porque é mestra de oração”. “Uma das caraterísticas do Carmelo é, precisamente, a oração”, evidenciou.

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

Também a irmã Maria da Glória Pinto se referiu à santa carmelita, lembrando que “desde criança se imprimiu no seu espírito um forte desejo do céu e da eternidade” e que “conheceu os segredos de Deus que lhe eram transmitidos pela oração”.

A consagrada contou que “Teresa de Jesus foi uma mulher extremamente alegre, humilde e agradecida”, “de grande simpatia e afabilidade no trato com todos”.

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

Lembrando que se relacionava com Deus “como com um amigo”, destacou que, “pela sua experiência, vida e escritos tornou-se mestra e doutora da Igreja, sobretudo pelos seus ensinamentos em matéria de oração”. “Diz-nos, a partir da sua própria experiência, o que é a oração. E outra coisa não é oração mental senão tratar de amizade, estando muitas vezes tratando a sós com que sabemos que nos ama”, sustentou.

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

A irmã Glória Pinto recordou ainda os “preciosos livros espirituais” deixados por Teresa de Ávila, como o “Livro da Vida”, o “Caminho de Perfeição”, o “Moradas”, também conhecido como “Castelo Interior”, o “Livro das Fundações”, para além das “poesias, exclamações e mais de 500 cartas”.

Santa Teresa de Jesus (1515-1582), fundadora do Carmelo Descalço, também conhecida como Santa Teresa de Ávila, nasceu a 28 de março de 1515 e, após ter entrado no convento carmelita de Nossa Senhora da Encarnação, promoveu a renovação da Ordem do Carmo, tendo fundado o primeiro convento da nova família carmelita descalça em 1562, dia em que Teresa mudou de hábito e começou a chamar-se Teresa de Jesus.

Verifique também

Conferências vicentinas do Algarve reuniram-se em Tavira em assembleia geral

As conferências do Conselho Central do Algarve da Sociedade de São Vicente de Paulo voltaram …