Pub

O candidato algarvio obteve mais 3,55 por cento dos votos do que em 2006, enquanto o apoiado pelo PS e pelo Bloco de Esquerda desceu de 23,18 por cento dos votos há cinco anos para 18,52 nestas eleições.

O reitor da Universidade do Algarve (UAlg), João Guerreiro, não se mostrou surpreendido com os resultados e revelou à Lusa que a vitória da candidatura de Cavaco Silva no Algarve “já era esperada”.

“Há sempre vantagem na reeleição de um Presidente da República”, referiu, sublinhando que também poderá estar em jogo o facto de o candidato ser algarvio e de ter “uma boa relação” com a região.

Para João Guerreiro a grande surpresa nos resultados do distrito de Faro foi mesmo a aproximação de Fernando Nobre, que arrecadou 15,96 por cento dos votos, a Manuel Alegre, que obteve 18,52 por cento.

O quarto mais votado foi o candidato apoiado pelo PCP, Francisco Lopes, com 7,14 por cento.

Os candidatos menos votados foram José Manuel Coelho, com 4,5 por cento dos votos, e o independente Defensor Moura com 1,57 por cento.

No universo dos votantes no distrito de Faro, contabilizaram-se ainda 4,26 por cento de votos em branco e 1,93 por cento de votos nulos.

Lusa

Pub