Pub

Foto © Samuel Mendonça

O CDS-PP pediu hoje a audição parlamentar urgente dos diretores de departamento do Centro Hospitalar do Algarve (CHA), que pediram a demissão em dezembro, para que esclareçam os motivos do seu afastamento.

No documento dirigido ao presidente da comissão parlamentar de saúde, as deputadas centristas Isabel Galriça Neto e Teresa Caeiro pedem que os diretores sejam ouvidos naquela comissão “com caráter de urgência, para que expliquem os motivos da demissão e o impacto dos problemas do CHA na prestação de cuidados de saúde”.

Em dezembro de 2016, a subdiretora clínica e quatro diretores de departamento do Centro Hospitalar do Algarve, que integra os hospitais de Faro, Portimão e de Lagos, apresentaram a demissão por alegada “falta de condições” que tem condicionado a quantidade e a qualidade da assistência nas unidades de saúde.

Para o CDS-PP, as demissões dos clínicos “comprovam que os problemas parecem longe do fim, apesar das promessas feitas pelo ministro da saúde” em rever o modelo de gestão do CHA.

“No entanto, e apesar das promessas do ministro, (…) não terá sido ainda tomada nenhuma decisão relativamente ao modelo do CHA, decisão que estava a aguardar um estudo da Administração Regional de Saúde do Algarve e que deveria ser tomada em breve”, sublinham as deputadas centristas.

O CDS-PP entende que há muitos problemas que precisam de “resolução urgente, tornando-se essencial saber detalhadamente no que consistem as dificuldades com que os profissionais se deparam e o seu impacto na assistência prestada aos utentes”.

Pub