Pub

Foto © Samuel Mendonça

O Centro de Acólitos da Diocese do Algarve promoveu no passado sábado de manhã, 18 de março, um encontro de formação para os acólitos a partir dos 16 anos.

A iniciativa, que teve lugar no Centro Paroquial de Loulé, teve como objetivo a preparação daqueles servidores do altar para uma melhor vivência da Quaresma e da Páscoa, com uma especial sensibilização para a Semana Santa, particularmente o Tríduo Pascal, o «coração» das celebrações pascais na Quinta-feira Santa, Sexta-feira Santa e Sábado Santo.

Foto © Samuel Mendonça

Assim, a primeira parte da manhã foi orientada pelo padre Carlos de Aquino, assistente do Centro Diocesano de Acólitos, que exortou os 15 participantes a “uma vivência mais profunda e plena do mistério pascal”. “Sentimos que é muito necessário, os acólitos crescerem numa espiritualidade mais profunda. Para além do que exercem, é preciso que percebam o significado dos gestos, palavras e conteúdo do que a própria Igreja propõe na formulação deste tempo”, explicou o sacerdote ao Folha do Domingo.

A segunda parte da manhã foi aproveitada para relembrar as celebrações da Semana Santa, as mais importantes do calendário litúrgico da Igreja Católica, e o serviço que nelas os acólitos são chamados a desempenhar.

O acólito (termo de origem grega que significa “acompanhar” ou “seguir”) ajuda o clero católico no serviço do altar, podendo também ser solenemente instituído, o que acontece no âmbito da formação para o sacerdócio.

A Quaresma é um período de 40 dias – excetuando os domingos –, marcado por apelos ao jejum, partilha e penitência, que serve de preparação para a Páscoa, a principal festa do calendário dos cristãos.

Pub