Pub

A ação de protesto convocada pela Comissão de Utentes da Via do Infante e Movimento de Luta Contra as Portagens estava marcada para as 15:00, mas os organizadores decidiram atrasar a partida, dada a grande afluência de pessoas, oriundas de vários pontos do Algarve.

Com concentrações agendadas em vários pontos da região, os organizadores aguardam a participação de milhares de pessoas na marcha lenta que vai concentrar-se junto às entradas e saídas da autoestrada do sul (A2), na tentativa de bloquear aqueles acessos.

Macário Correia (PSD), presidente da Comunidade Intermunicipal do Algarve (AMAL) e presidente da Câmara Municipal de Faro, integra a concentração de Faro, porque considera que “a introdução de portagens foi feita de forma anárquica, sem que fossem ouvidos os autarcas”.

“É uma medida que prejudica economicamente e turisticamente a região e quero manifestar o meu desagrado ao lado das populações”, justificou Macário Correia.

As introdução de portagens na Via do Infante (A22) está prevista para o dia 15 de abril.

Folha do Domingo/Lusa
Pub