Breves
Inicio | Economia | Cestaria de empreita algarvia personalizada faz sucesso entre celebridades

Cestaria de empreita algarvia personalizada faz sucesso entre celebridades

Foto © Luís Forra/Lusa
Foto © Luís Forra/Lusa

Uma empresa familiar algarvia está a relançar a cestaria de empreita tradicional algarvia, promovendo-a através de produtos personalizados e acessórios de moda que estão a fazer sucesso entre celebridades internacionais, como a primeira-dama norte-americana.

A palma utilizada para fazer os entrelaçados – arte típica do Algarve designada por empreita -, é retirada da palmeira anã, planta que existe predominantemente no sul da Europa, passando depois por um processo de tratamento até dar forma às cestas, que podem servir como malas de senhora ou para decoração.

Victoria Beckham, Oprah Winfrey e Michelle Obama são algumas das celebridades que já têm produtos da Companhia das Cestas, fundada há quase dois anos por Beatriz Costa e pela sua filha, Sofia Rocha, que personalizam e decoram cestas criadas por artesãs algarvias.

Com as vendas a realizarem-se sobretudo a partir da presença “online”, a dupla já produz anualmente mais de 1.000 exemplares, sendo cerca de 60% da produção enviada para o estrangeiro, explicaram as empresárias à Lusa.

Foto © Luís Forra/Lusa
Foto © Luís Forra/Lusa

“Há muita gente das marcas de luxo com as nossas cestas”, observou Sofia Rocha, revelando que uma empresa de Lisboa ligada à moda entregou no último Natal várias cestas de empreita personalizadas aos seus fornecedores estrangeiros de marcas de luxo.

Das cestas de decoração de casa, às cestas de praia e às malas de senhora, são vários os modelos que a empresa comercializa, personalizadas, por exemplo, com pinturas das iniciais do nome do cliente ou pinturas alusivas às utilizações de cada cesta.

Os preços variam entre os 25 e os 80 euros, consoante o modelo, contaram as empresárias em plena oficina localizada em Vilamoura, concelho de Loulé, observando que os produtos com mais saída são as cestas de praia e as malas de senhora.

Atualmente, o número de artesãos que se dedicam à empreita é reduzido e as empresárias não escondem a dificuldade em encontrar mão-de-obra para fazer face às encomendas.

“Cada vez é mais difícil, porque as pessoas de mais idade é que fazem a empreita”, disse Beatriz Costa.

A empreita é uma técnica de artesanato típica do barrocal algarvio, outrora utilizada para fazer diversos recipientes, numa altura em que ainda não existiam, por exemplo, os sacos de plástico, contou à Lusa a artesã Maria Odete Rocha, que colabora com a Companhia das Cestas.

A inspiração para a criação da empresa surgiu durante uma viagem à Turquia, onde mãe e filha sentiram a vontade de promover e preservar o património cultural.

“Resolvemos numa brincadeira comprar umas cestas de empreita e pintar para nos entretermos”, contou Beatriz Costa, recordando que desde que as cestas chegaram à praia pelas mãos de Sofia e de algumas amigas, começaram a surgir encomendas.

Sem esconder a vontade de ter futuramente uma loja própria, as empresárias apostam na qualidade dos seus produtos e começam a receber propostas para colaborações com empresas de acessórios de moda.

Verifique também

Hoteleiros algarvios preocupados com greve de motoristas mas confiantes nos serviços mínimos

A principal associação hoteleira do Algarve mostrou-se hoje “preocupada” com o impacto da greve de …