Pub

© Luís Forra/Lusa
© Luís Forra/Lusa/arquivo

A circulação junto de quatro dos principais postos fronteiriços de Portugal Continental – Quintanilha (Bragança), Vilar Formoso, Caia e na ponte internacional do Guadiana -, fazia-se ontem com normalidade e sem controlo policial visível, constatou a agência Lusa no local.

Na ponte internacional sobre o rio Guadiana, que liga o Algarve à região autónoma espanhola da Andaluzia, o ambiente era ontem de manhã de tranquilidade, sem qualquer tipo de controlo policial a veículos ou passageiros que atravessavam a fronteira entre os dois países.

A presença policial apenas era visível no posto de controlo fronteiriço luso-espanhol de Castro Marim, localizado na margem portuguesa, antes de atravessar a ponte para Espanha, onde estão presentes elementos das várias forças policiais e serviços de segurança de ambos os países.

Sobre o reforço do controlo das fronteiras, após os ataques de Paris, Juan Cuesta, um espanhol de Huelva, capital da província homónima da Andaluzia, disse à Lusa que, no percurso de cerca de 50 quilómetros que fez ontem até à fronteira com o Algarve, não notou grandes diferenças nos dispositivos policiais no seu país, apenas “os controlos habituais de tráfego junto às rotundas logo à saída” da cidade.

A Lusa contactou fonte do comando de Faro da GNR, que assegurou que as autoridades policiais dos dois países estão a realizar os controlos que consideram adequados à situação que se vive, mas sem revelar quais.

com Lusa

Pub