Pub

Os proprietários de diversos estabelecimentos comerciais localizados ao longo da avenida Tomás Cabreira, a de maior movimento no destino balnear, queixam-se de aí se desenrolarem actividades que “afastam os turistas das lojas”, nomeadamente o facto de serem “abordados por pessoas que lhes tentam vender ouro e droga”.

“Já denunciámos várias vezes que existem pessoas a incomodar os turistas, para vender o que parece ser haxixe ou ouro de origem duvidosa, e a polícia não consegue travar isto”, explicou à Lusa o proprietário de uma loja de artesanato.

Também à entrada da reunião com a PSP, realizada às 15 horas, uma outra comerciante, proprietária de três lojas, queixava-se de não conseguir vender óculos-de-sol, devido à concorrência desleal dos vendedores ambulantes ilegais.

“Chegam e abrem uma manta no chão à frente das lojas, põem-se a vender onde as pessoas passam e a polícia nada faz”, relatou.

O assunto, acrescentou, já a levou duas vezes à esquadra da polícia para exigir maior fiscalização mas, por de nada terem servido as suas iniciativas individuais, espera agora que, “por ser todos juntos, resulte nalguma coisa”.

Devido ao descontentamento dos comerciantes, a Câmara de Portimão e a PSP realizaram, a 11 de junho, uma acção de fiscalização conjunta na principal artéria da Praia da Rocha, da qual resultou o levantamento de 20 autos “por falta de licença para o exercício de venda ambulante” e “conspurcação da via pública”.

De acordo com a autarquia, foi ainda confiscado artesanato africano, brinquedos, malas, óculos e pinturas.

As queixas dos comerciantes sobre a insegurança e venda ambulante ilegal na Praia da Rocha levaram a Câmara, em 2006, a apresentar um projecto de videovigilância à Comissão Nacional de Protecção de Dados (CNPD).

A proposta de instalação de 20 câmaras ao longo da Avenida Tomás Cabreira e nas artérias adjacentes foi limitada pela Comissão à colocação de apenas três câmaras em parques de estacionamento.

Fonte da autarquia revelou à Lusa, que a Câmara e a PSP, apesar do chumbo da CNPD, estão a preparar um novo projecto para a videovigilância da avenida.

Lusa

Pub