Pub

A introdução de descontos nas portagens e a majoração dos custos com combustível para efeitos de IRC são duas das medidas acordadas na terça-feira à noite entre o Governo e as associações dos transportadores rodoviários de mercadorias, que desde segunda-feira tinham em vigor uma paralisação por tempo indeterminado.

Ao abrigo do acordo, o Governo comprometeu-se a introduzir descontos no pagamento de portagens nas SCUT (sem custos para o utilizador), admitindo uma diminuição até 10 por cento no período diurno e 25 por cento no período noturno.

Para José Domingos, da Comissão de Utentes da A22 – Via Infante de Sagres(Lagos/Vila Real de Santo António), os camionistas ficaram “lesados” com o acordo, uma vez que “deviam ter ficado isentos” do pagamento de portagens, diz, acrescentando que não se sabe se o acordo “será realmente cumprido”.

“Não acho mal que haja eventuais descontos mas penso que deviam abranger todos os utentes das SCUT porque há muita gente que não pertence a empresas transportadoras mas precisa de circular na A22 para trabalhar”, refere.

Já João Vasconcelos, outro elemento da mesma comissão, adianta que por abranger apenas um setor específico este acordo “não vai resolver a situação”, frisando que as suas reivindicações se mantêm tal como no início.

“Não são esses descontos que vão resolver o problema que está criado uma vez que a introdução de portagens vai afetar toda a actividade social e económica do Algarve”, resume.

Lusa

Pub