Pub

A votação decorreu entre a tarde e a noite de sábado, tendo registado um aumento da afluência em 11 por cento relativamente às últimas eleições para a comissão política distrital do PSD Algarve, frisou Luís Gomes.

“Estou satisfeito porque houve uma adesão 11 por cento acima das últimas eleições e isso mostra que o partido está mobilizado, apesar do desgaste normal de quem está no Governo”, afirmou o também presidente da Câmara Municipal de Vila Real de Santo António.

Luís Gomes explicou que o PSD/Algarve irá “lutar pelas grandes causas regionais no Algarve”, entre elas o “combate ao desemprego, que é a principal chaga da região, sendo a zona do país com mais desempregados e com uma taxa de desemprego de 20%”.

O dirigente partidário foi eleito pela primeira vez para o cargo em 2010, mas em abril passado anunciou a sua demissão e recandidatou-se, tendo sido o único candidato a apresentar uma lista para as eleições de sábado.

Para além de Luís Gomes, foram também eleitos Desidério Silva, presidente da Câmara de Albufeira, para presidente da Mesa da Assembleia Distrital, Gilberto Sousa para presidente do Concelho de Jurisdição e a deputada Elsa Cordeiro para liderar a comissão Distrital de Auditoria Financeira.

Simultaneamente, foram realizadas eleições para a concelhia do partido em Faro. Estas eleições contaram com dois candidatos, Cristóvão Norte e Carlos Pereira, que se tinham envolvido numa troca de acusações, o que levou à apresentação de um pedido de inquérito disciplinar e um anúncio de queixa-crime, devido ao alegado desaparecimento de fichas de novos militantes.

Em causa estavam 127 fichas de militantes recrutados pelo candidato da lista B, Carlos Pereira, e entregues em setembro ao candidato da lista A, Cristóvão Norte, atual deputado do partido na Assembleia da República, mas que teriam desaparecido.

A votação terminou no sábado à noite, com a vitória de Cristóvão Norte, com 69,5 por cento dos votos, um total de 318 votos contra os 140 de Carlos Pereira.

Liliana Lourencinho com Lusa

Pub