Pub

A Câmara de Albufeira juntou-se hoje a outras autarquias do Algarve e interditou os acessos às praias do concelho, como medida para evitar a propagação da pandemia de covid-19, anunciou hoje o município.

A autarquia algarvia referiu que “os parques de estacionamento” junto às praias “são monitorizados por agentes de segurança” e apelou à população para “que se respeitem as recomendações da DGS [Direção-Geral da Saúde]” para manter o isolamento social e assim conter a expansão da pandemia.

“A partir de hoje, estão interditados os parques que dão acesso às praias Galé Oeste, Galé (estrada de acesso à praia), Evaristo, Castelo, S. Rafael, Arrifes, Santa Eulália, Maria Luísa, Olhos de Água e Barranco”, anunciou a autarquia num comunicado.

A mesma fonte garantiu estas novas medidas para “proteger a população” vão ser “monitorizadas pelas forças de segurança”, que ficarão encarregadas de “evitar qualquer situação de risco”, quando Portugal entrou na “fase de mitigação da Covid-19, no âmbito do Plano de Emergência Nacional”.

A Câmara de Albufeira segue assim outra quatro autarquias do distrito de Faro que desde sexta-feira interditaram o acesso às praias dos respetivos concelhos.

Lagos e Lagos interditaram às suas praias na sexta-feira e foram seguidas no sábado por Loulé e Portimão, que adotaram medidas semelhantes no sábado, depois de se ter verificado um aumento do número de pessoas que se deslocavam para passeios nessa zona, criando aglomerados que comprometiam as medidas de isolamento social determinadas pelas autoridades sanitárias.

O município de Lagoa interditou as zonas de praia com o “objetivo de dissuadir a população de realizar passeios em grupos ou em zonas onde se juntem aglomerados de pessoas” e recordou que “o município de Lagoa decretou o alargamento do estado de alerta até ao final do mês de abril” e “há a registar o falecimento de duas vítimas por Covid-19 no concelho”.

Em Lagos a decisão foi tomada por “tempo indeterminado” e nas zonas que foram identificados como “locais aprazíveis” e “mais propícios à concentração de pessoas”, sendo “suscetíveis de gerarem comportamentos contrários aos objetivos que levaram à imposição do estado de Emergência Nacional” e que visam o isolamento social, argumentou a autarquia.

“Decidiu-se condicionar os acessos às praias do Trafal, Loulé Velho e Almargem, assim como encerrar os parques de estacionamento nas zonas do litoral, em Almancil: no Garrão Nascente, Vale do Lobo, Quinta do Lago, Dunas Douradas e Ancão, e, em Quarteira, no Passeio das Dunas”, anunciou de Loulé num comunicado.

A Câmara de Portimão interditou oito quilómetros de praias e áreas de litoral do concelho, para evitar aglomerados de pessoas e conter a expansão da pandemia de Covid-19, depois de se verificar que “havia pessoas a deambular no molhe [da cidade], na Praia da Rocha e outras praias do concelho”.

A medida também se aplica em Alvor e somou-se a um “reforço da fiscalização de viaturas nas entradas da cidade” para evitar deslocações de pessoas de fora do concelho e que estejam a desrespeitar a determinação de permanência na zona de residência para garantir o isolamento social imposto pelas autoridades sanitárias.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 667 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 31.000.

Dos casos de infeção, pelo menos 134.700 são considerados curados.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

Em Portugal, segundo o balanço feito sábado pela Direção-Geral da Saúde, registaram-se 119 mortes, mais 19 do que na véspera (+19%), e registaram-se 5.962 casos de infeções confirmadas, mais 792 casos em relação a sábado (+15,3%).

Dos infetados, 486 estão internados, 138 dos quais em unidades de cuidados intensivos, e há 43 doentes que já recuperaram.

Portugal, onde os primeiros casos confirmados foram registados no dia 02 de março, encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de 19 de março e até às 23:59 de 02 de abril.

Além disso, o Governo declarou no dia 17 o estado de calamidade pública para o concelho de Ovar.

Pub