Pub

A Câmara de Loulé vai condicionar o acesso às praias do concelho e aos parques de estacionamento do litoral, para evitar aglomerações de pessoas e impedir a expansão da pandemia de Covid-19, anunciou hoje o município.

A medida foi debatida, por sugestão de forças de segurança, pelo posto de comando municipal que monitoriza a situação no concelho diariamente e tem por “objetivo de dissuadir a população de realizar passeios em grupos ou em zonas onde se juntem aglomerados de pessoas, como se tem verificado nos últimos dias em certas áreas naturais do concelho”, quando se aproxima a Páscoa, justificou a autarquia.

“Decidiu-se condicionar os acessos às praias do Trafal, Loulé Velho e Almargem, assim como encerrar os parques de estacionamento nas zonas do litoral, em Almancil: no Garrão Nascente, Vale do Lobo, Quinta do Lago, Dunas Douradas e Ancão, e, em Quarteira, no Passeio das Dunas”, anunciou a Câmara do distrito de Faro num comunicado.

O município referiu que as medidas foram aprovadas por “sugestão da Autoridade Marítima e da Guarda Nacional Republicana”, entidades que têm “trabalhado diariamente com a edilidade na implementação de medidas que contribuam para fazer frente ao surto pandémico” da Covid-19.

O presidente da Câmara, Vítor Aleixo, aprovou também “a suspensão das emissões de Licenças Especiais de Ruído, exceto as que se “destinem à execução de obras particulares”, anunciou ainda o município, justificando a medida com a necessidade de “dissuadir a realização de eventuais convívios e festas particulares propensas ao contacto social”.

“Numa altura em que Portugal passou à fase da mitigação, estamos preocupados sobretudo porque se aproxima a Páscoa, um período em que o Algarve é, por excelência, o destino de férias de muitos portugueses. Por mais paradoxal que possa parecer estarmos a tomar estas medidas num concelho em que o turismo é determinante para a sua atividade económica, neste momento o mais importante são as condições de saúde dos nossos concidadãos”, argumentou Vítor Aleixo, citado no comunicado.

A Câmara de Loulé segue assim os passos que a Câmara de Lagos, também no distrito de Faro, deu na sexta-feira, quando interditou a circulação no passeio da frente ribeirinha da Avenida dos Descobrimentos, nas praias do concelho, frentes de mar e parques de estacionamento, devido à pandemia de Covid-19.

A decisão foi tomada pela subcomissão municipal permanente da Proteção Civil de Lagos, por “tempo indeterminado”, e abrange zonas que foram identificados como “locais aprazíveis” e “mais propícios à concentração de pessoas”, sendo “suscetíveis de gerarem comportamentos contrários aos objetivos que levaram à imposição do estado de Emergência Nacional” e que visam o isolamento social, argumentou a autarquia.

A Comunidade Intermunicipal do Algarve (AMAL) já tinha advertido sobre a chegada de pessoas à região para se instalarem em casas de férias ou segundas residências, considerando que este comportamento pode fazer aumentar os casos de Covid-19 na região, e apelou às pessoas de outras regiões do país para permanecerem nas suas primeiras residências enquanto estas medidas restritivas e de isolamento social vigorarem.

Em Portugal, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, registaram-se 100 mortes, mais 24 do que na véspera (+31,5%), e registaram-se 5.170 casos de infeções confirmadas, mais 902 casos em relação a sexta-feira (+21,1%).

Dos infetados, 418 estão internados, 89 dos quais em unidades de cuidados intensivos, e há 43 doentes que já recuperaram.

Portugal, onde os primeiros casos confirmados foram registados no dia 02 de março, encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de 19 de março e até às 23:59 de 02 de abril.

Além disso, o Governo declarou no dia 17 o estado de calamidade pública para o concelho de Ovar.

Pub