Inicio | Cultura | “Curto regresso aos palcos” dos Ornatos Violeta incluirá concerto no Festival F em Faro

“Curto regresso aos palcos” dos Ornatos Violeta incluirá concerto no Festival F em Faro

Os Ornatos Violeta, separados desde 2002, comemoram o 20.º aniversário do seu segundo e último álbum com um “curto regresso aos palcos” que incluirá um concerto na próxima edição do Festival F, em Faro, no dia 06 de setembro, anunciou hoje à Lusa a PEV Entertainment.

Num comunicado enviado pela promotora da banda hoje de manhã, foi também revelado que o regresso da banda para celebrar os 20 anos de “O Monstro Precisa de Amigos” incluirá um primeiro concerto em Oeiras, no festival Alive, em 11 de julho, seguindo-se um segundo no festival Marés Vivas, no Porto, a 20 de julho.

Editado a 22 de novembro de 1999, “O Monstro Precisa de Amigos”, que contou com as participações da banda portuguesa Corvos, do cantor Vítor Espadinha e de Gordon Gano, vocalista dos Violent Femmes, foi consagrado como álbum do ano nos prémios Blitz de 1999, arrecadando também os prémios de melhor voz masculina, melhor canção (com “Ouvi Dizer”) e melhor grupo português.

Em 2009, a mesma revista escolhe “O Monstro Precisa de Amigos” como o terceiro melhor álbum dos anos 90, atrás de “Viagens”, de Pedro Abrunhosa, e “Mutantes S.21”, da banda Mão Morta, e como um dos melhores álbuns portugueses editados entre 1960 e 2000.

Depois de se terem separado, os Ornatos Violeta regressaram em 2012 para celebrar os 20 anos da sua formação com oito concertos especiais.

Antes do “O Monstro Precisa de Amigos”, em 1999, a banda portuguesa, composta por Manel Cruz, na voz, Nuno Prata, no baixo, Peixe, na guitarra, Kinörm, na bateria, e Elísio Donas, nos teclados, lançou em 1997 o seu primeiro trabalho, “Cão!”, com o tema “Letra S”, em dueto com a vocalista dos Clã, Manuela Azevedo.

Para o Festival F, a venda de bilhetes será anunciada em breve.

com Lusa

Verifique também

Livro de Patrícia Palma revela rede de bibliotecas religiosas que contribuiu para cultura escrita no século XVIII

A nova publicação da investigadora algarvia Patrícia de Jesus Palma vem desconstruir “a ideia feita …