Pub

“Agradeço o esforço do Olhanense, que permitiu o meu regresso a Portugal. Apesar de ter 29 anos, considero-me muito ambicioso. Por isso, vou tentar relançar a minha carreira, pois ainda tenho muito para mostrar no futebol”, assegurou, em conferência de imprensa.

O dianteiro, que assinou um vínculo de época e meia, já conhece o técnico Daúto Faquirá, que o orientou no Odivelas e no Estoril, mas frisou que vai trabalhar “tanto como os outros ou o dobro para ganhar a sua confiança”, pois sabe não vai ter “facilidades”.

“Sei que o Olhanense não tem marcado muitos golos, mas sou mais um para ajudar e vim para dar o máximo. Temos todos de nos unir em prol do clube”, adiantou Dady, que revelou ter traçado uma meta de golos com o presidente e o treinador.

Sem especificar o número de golos pretendido, o avançado prometeu “marcar o maior número de golos possível”, de forma a ajudar a equipa algarvia “alcançar a manutenção e a colocar o clube mais acima na tabela”.

O internacional cabo-verdiano retorna a Portugal, onde se destacou ao serviço do Belenenses, depois de quatro épocas no estrangeiro, os últimos meses passados no Bucaspor (Turquia), que considerou ter sido “a pior decisão desportiva” da carreira.

Na mesma conferência de imprensa, o presidente do Olhanense, Isidoro Sousa, revelou que vai tentar acordar a renovação de contrato de Paulo Sérgio esta semana e, quanto ao reforço para o lugar de médio, disse que “estão três jogadores referenciados”, mas nada ainda decidido.

O clube algarvio ocupa o 10.º lugar na Liga de futebol, com 19 pontos.

Lusa

Pub