Pub

“Depois dos 5-0, tivemos outro jogo, em Guimarães [derrota por 1-0], onde a equipa deu uma resposta cabal e boa em todos os aspetos. Olhando para essa última imagem, não houve abalo nenhum. A equipa sabe aquilo que tem a fazer para alcançar os seus objetivos”, disse Daúto Faquirá, na antevisão da partida de quarta-feira.

O Olhanense vai visitar a Luz pela terceira vez esta época, depois dos jogos do campeonato (derrota por 2-0) e da Taça de Portugal (5-0), desta vez para a Taça da Liga, em cuja terceira fase iniciou com uma derrota no terreno do Desportivo das Aves (3-2), pelo que “as chances já não são tantas como de início”.

“É um jogo difícil, contra um adversário teoricamente mais forte. Se fizermos 10 jogos no Estádio da Luz, em condições normais, se conseguirmos ganhar um, é bom para nós”, admitiu, lembrando as limitações que condicionam o plantel.

“Temos um mês complicado, com muitas viagens, muitos quilómetros nas pernas, parecemos uma banda de rock em digressão pelo país”, comparou, recordando ainda as muitas baixas, com vários jogadores lesionados e condicionados.

Apesar de tudo, Daúto Faquirá promete lançar o “melhor onze possível”: “Será a melhor equipa de acordo com o que temos. As condicionantes não nos retirarão a vontade de fazer o nosso melhor e jogar para ganhar. Se tivermos possibilidade de ganhar, é o que vamos fazer”.

Entre as muitas mudanças no "onze" habitual, Bruno Veríssimo será titular na baliza algarvia, enquanto no eixo defensivo se deverá estrear uma nova dupla, composta por Mexer e Paulo Renato.

O Benfica, líder do Grupo B com três pontos, recebe pelas 19:15 de quarta-feira o Olhanense, terceiro classificado ainda sem qualquer ponto, em jogo que será arbitrado por Soares Dias, do Porto.

Folha do Domingo/Lusa
Pub