Pub

“Queremos mexer no destino e mudar a nossa sorte. Temos de jogar melhor do que aquilo que fizemos nos dois jogos já disputados esta época contra eles, com outra determinação, outros níveis de motivação e mais eficácia”, disse Daúto Faquirá, na antevisão da partida.

O Estoril tem sido uma “besta negra” dos algarvios nas últimas épocas: nos últimos cinco duelos entre as duas equipas não perdeu e, já esta temporada, “atirou” o Olhanense para fora da Taça da Liga, vencendo em casa (4-3) e empatando no Algarve (0-0).

“O jogo vai ser complicado. O Estoril tem a ‘almofada’ de ter feito dois jogos contra nós e não ter perdido. Esta é uma competição diferente mas a tarefa será difícil”, assinalou Faquirá.

O técnico do Olhanense recordou que a equipa está numa “fase boa”, com um conjunto de jogos consecutivos “a somar pontos”, o que dá “alento e otimismo” para tentar ultrapassar o quarto classificado da Liga de Honra.

A lista de indisponíveis dos algarvios, devido a lesão, mantém-se extensa, mas Daúto Faquirá já poderá contar com os regressados Fernando Alexandre (usará uma máscara) e Dady, que cumpriu um jogo de castigo.

O Estoril recebe o Olhanense no sábado, às 20.15, no Estádio António Coimbra da Mota.

Lusa

Pub