Pub

“O nosso objetivo é fazer um bom jogo e trazer pontos para Olhão. Apesar das dificuldades que vamos encontrar e da qualidade do adversário, estamos com muita vontade de iniciar o campeonato e de, com as nossas armas, procurar contrariar o favoritismo do Sporting”, afirmou Daúto Faquirá, na conferência de imprensa de antevisão do jogo de arranque da Liga.

Para o técnico, que espera “um nervoso miudinho das duas equipas” por se tratar do primeiro encontro da época, o Sporting “é uma equipa forte, ainda que esteja em construção, com fases que têm de ser cumpridas”.

“O mais importante é conhecer as ideias do Domingos [Paciência]. Já conhecemos de Braga a forma de jogar que ele está a implementar no Sporting, independentemente dos nomes que jogam. É a equipa favorita, reforçou-se imenso em todos os setores, com muitas soluções no ataque, e vai dificultar a nossa tarefa”, disse.

Sobre as carências defensivas, nomeadamente a lentidão, evidenciadas pelos “leões” nos últimos jogos de preparação, Daúto Faquirá explicou que não acredita “nas supostas debilidades” do rival, acrescentando: “Se se apresentar com Rodriguez e Carriço, dois centrais que não são lentos, mais Evaldo e João Pereira, contraria-se logo essa ideia.”

Os argumentos da equipa de Olhão não mudam muito em relação à última época: “Não temos estrelas, não temos os jogadores que o nosso adversário tem, valemo-nos da nossa capacidade de organização e de nos mantermos unidos e compactos”, assinalou.

O técnico do Olhanense lembrou que a sua equipa “defende bem e tem a capacidade de fazer circular a bola e de jogar no meio campo do Sporting”.

“Vamos fazer o nosso jogo sem desvirtuar os nossos princípios. Falando em termos genéricos, em comparação com o ano passado, queremos dar alguma plasticidade à equipa, procurar torná-la mais plástica sem retirar a capacidade de organização”, sustentou.

O Sporting recebe o Olhanense no sábado, em jogo marcado para as 20.15, com arbitragem de Carlos Xistra (Castelo Branco).

Lusa
Pub