Pub

No próximo dia 1 de Maio celebramos o Dia do Trabalhador que, neste ano, coincide com o Dia da Mãe, tantas vezes dos mais significativos exemplos de trabalho sem olhar a recompensa económica nem a horários e regalias.

Sendo assim, a nossa reflexão terá, pois, a dupla finalidade de homenagearmos as Mães e enaltecermos os trabalhadores.

E comecemos por recordar que é uma coincidência feliz celebrar o Dia da Mãe, precisamente, no dia que abre o mês das flores dedicado à Rainha das Mães, Maria Santíssima, Mãe de Deus e dos homens.

Assim louvaremos nesse mês a Mãe assumpta e gloriosa, sem esquecermos a Mãe querida que, na terra, nos deu a vida com mil cuidados de ternura e canseira. E aqueles que a não tenham já neste mundo, não se esqueçam de lembrá-la com muito amor e fé.

Ao mesmo tempo o calendário litúrgico dá-nos também, no dia primeiro de Maio, S. José como o operário, trabalhador, carpinteiro exemplar.

É padroeiro dos trabalhadores neste dia em que se comemoram os direitos sagrados de quem trabalha honestamente, qualquer que seja esse trabalho.

Pois, não podemos esquecer que trabalhadores não são só aqueles que lavram e cultivam os campos, que trabalham nas fábricas ou nas minas, que constroem casas, estradas e pontes ou carregam e descarregam navios, não, são também trabalhadores os homens e as mulheres do estudo, da escrita, da ciência, da investigação, enfim, são todos aqueles e aquelas que desempenham as mais variadas funções que se esforçam nas mais diferentes tarefas para levar por diante o progresso e o avanço da civilização…

Por isso a todos, sem excepção devemos tributar a nossa homenagem, pois, todos trabalham em prol da humanidade.

Joaquim Mendes Marques

O autor deste artigo não o escreveu ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Pub