Pub

© Samuel Mendonça
© Samuel Mendonça

O Dia Diocesano do Catequista, promovido pela Diocese do Algarve no último sábado, evidenciou que aquela missão na Igreja é “caminho de santidade”.

© Samuel Mendonça
© Samuel Mendonça

Isso mesmo o afirmou o bispo do Algarve na oração de Laudes com que teve início o encontro no centro paroquial de Olhão que contou com cerca de 150 catequistas de todo o Algarve. D. Manuel Quintas lembrou aos catequistas o legado que também lhes foi deixado pelos seus catequistas. “Ser catequista é crescer na identificação com Cristo para o poder transmitir, sobretudo pelo testemunho”, destacou o prelado.

© Samuel Mendonça
© Samuel Mendonça

Neste sentido, o bispo diocesano sublinhou que “a Igreja não cresce por proselitismo, mas por contágio” e “os catequistas devem ser aqueles que transmitem aquilo que receberam por contágio”. “Este é, seguramente, o meio mais eficaz de contágio: o pregar pelo testemunho”, completou.

© Samuel Mendonça
© Samuel Mendonça

Após a apresentação da conferência do padre Paulo Malícia, diretor do Departamento da Catequese do Patriarcado de Lisboa, sobre o tema “Catequese de Adolescência, uma proposta de santidade”, seguiu-se o almoço partilhado e um momento recreativo de passeio e convívio.

O dia terminou com a celebração da eucaristia, presidida pelo padre Flávio Martins, diretor do Secretariado da Catequese da Diocese do Algarve, na igreja matriz, na qual foram entregues os certificados aos catequistas que completaram o Curso de Iniciação em 2013.

Pub