Breves
Inicio | Igreja | Diocese do Algarve promove formação sobre sistema informático de gestão paroquial

Diocese do Algarve promove formação sobre sistema informático de gestão paroquial

A Diocese do Algarve realizará nos próximos dias 1 e 2 de dezembro mais uma ação de formação sobre o sistema informático de gestão paroquial.

No primeiro dia, a iniciativa realiza-se no Centro Paroquial de Santa Bárbara de Nexe e destina-se, preferencialmente, a utilizadores mais experientes, enquanto no dia seguinte será, particularmente, para utilizadores principiantes, tendo lugar no Centro Paroquial de Paderne.

“Estas formações não são única e exclusivamente para os párocos, mas destinam-se a todos os agentes de pastoral que trabalham nas nossas paróquias, desde catequistas, acólitos, conselho económico, cartório paroquial, etc”, explica o padre Miguel Neto, responsável pela informatização da diocese algarvia, no email enviado às paróquias, a que Folha do Domingo teve acesso.

Com aplicação para dispositivos móveis como smartphones ou tablets, o sistema, acessível a partir do portal www.aparoquia.com, permite às paróquias fazer consultas e registos de batismos, matrimónios ou óbitos assinados eletronicamente com código de barras e QR code e no contexto do despacho de processos com a Cúria diocesana no contexto do despacho de processos, assim como a gestão da agenda paroquial, sua contabilidade e tesouraria com a consequente emissão de recibos ou a apresentação de mapas financeiros, a gestão de intenções de missas.

A gestão da catequese ou o inventário do património paroquial são outras das funcionalidades da plataforma criada pela empresa sedeada em Paços de Ferreira, responsável atualmente por 2550 paróquias das dioceses de Angra do Heroísmo, Aveiro, Beja, Braga, Bragança-Miranda, Coimbra, Funchal, Lamego, Leiria-Fátima, Lisboa, Porto, São Tomé e Príncipe, Setúbal, Viana do Castelo, Vila Real e Viseu.

O bispo do Algarve já disse que a informatização é mesmo para avançar em todas as paróquias. “Isto não pode ser facultativo para as paróquias. Não são os párocos ou os leigos de cada paróquia que decidem se devem informatizar ou não a sua paróquia. Tem de ser obrigatório. Mais tarde, a diocese e quem vier depois arrepender-se-á, se nós agora, nesta geração, não apanharmos este «comboio»”, afirmou D. Manuel Quintas o ano passado aos párocos e leigos responsáveis pela informatização de cada paróquia.

Verifique também

Bispo do Algarve presidiu no Carmelo à celebração da solenidade de São João da Cruz

No dia de ontem, em que a Igreja Católica celebrou a memória litúrgica de São …