Pub

Direccao_regional_agriculturaO diretor regional de Agricultura do Algarve justificou ontem a suspensão do atendimento regular nos núcleos de Aljezur, Alcoutim e Silves e nas extensões de Lagos e Monchique com a saída acentuada de funcionários para a reforma.

A situação foi exposta na quarta-feira pelo PS/Algarve que, em comunicado, criticou o encerramento daqueles pontos de atendimento da Direção Regional de Agricultura de Pescas do Algarve (DRAPAlg), sobretudo numa fase em que está a aparecer uma nova geração de empresários, com vários investimentos em curso.

“Estes núcleos não têm fechado propriamente, tem havido uma falta de pessoal gradual e conforme há essa falta vai-se diminuindo a intensidade das visitas”, explicou Fernando Severino, sublinhando que os pontos de atendimento deixaram de ter horário fixo mas que os técnicos deslocar-se-ão a cada ponto sempre que existam pedidos de atendimento.

Contactada pela Lusa, Natividade Correia, do Movimento de Pequenos Produtores Agrícolas de Lagos, referiu que a situação reflete “o afastamento dos serviços de proximidade”, que facilitavam a vida dos agricultores, e o “desincentivo da pequena agricultura”, lembrando que muitos agricultores já têm idade avançada e dificuldade nas deslocações.

Segundo Fernando Severino, na zona do barlavento algarvio (oeste), onde outrora a DRAPAlg tinha onze funcionários, existem agora seis, que tentam assegurar o atendimento permanente na delegação de Portimão e as visitas a agricultores e acompanhamento de projetos em desenvolvimento.

No caso de Alcoutim, a DRAPAlg perdeu um funcionário para a vereação daquele município, mas mantém o atendimento regular de um engenheiro técnico agrário, assegurou o diretor regional da Agricultura.

Impedido legalmente de recrutar mais funcionários e a prever a aposentação de pelo menos mais 15 funcionários até ao final do ano, Fernando Severino considera que a solução passa pela colaboração com as autarquias, que tem vindo a ser estabelecida.

“Todo este trabalho que estamos a desenvolver com as autarquias é no sentido de, com menos pessoas, podermos dar um maior apoio aos agricultores”, sublinhou, aludindo ainda às novas tecnologias, que conseguem responder às necessidades de muitos utentes.

Aquele responsável lembrou que durante o mandato do anterior Governo fecharam os núcleos de Loulé, Martinlongo, Cachopo, Lagoa, Ferreiras e Messines.

Além da sede da Direção Regional de Agricultura, em Faro, o atendimento ao público mantém-se nas delegações de Portimão e Tavira e no núcleo de Olhão, entre as 09:00 e as 12:30 e entre as 14:00 e as 17:30, de segunda a sexta-feira, informa o “site” da DRAPAlg.

Pub