Breves
Inicio | Cultura | DiVaM 2017 leva novas propostas culturais aos monumentos do Algarve

DiVaM 2017 leva novas propostas culturais aos monumentos do Algarve

O Programa de Dinamização e Valorização dos Monumentos do Algarve (DiVaM), apresentado no passado sábado no Castelo de Paderne, em Albufeira, conta este ano com 48 sessões de 25 projetos culturais regionais, anunciou a Direção Regional de Cultura.

“Lugares da Globalização” é o tema desta quarta edição que, segundo a diretora regional de cultura do Algarve, Alexandra Gonçalves, pretende dar visibilidade à candidatura do património algarvio ligado aos Descobrimentos portugueses a Património da Humanidade da UNESCO (a agência das Nações Unidas para a Educação e Cultura).

Observação das estrelas no Museu de Arqueologia de Albufeira, desenhar arqueologia nas ruínas de Milreu, “Um dia e uma noite na Pré-História”, no Museu Municipal de Portimão, bio experiências romanas no labor e no ócio pelo Centro de Ciência Viva do Algarve e “Concertos ao entardecer” são algumas das propostas do calendário de 2017.

No Algarve, 70% dos visitantes dos monumentos algarvios são de nacionalidade estrangeira, explicou Alexandra Gonçalves, admitindo que o número de visitantes tem vindo a crescer nos últimos anos.

“O número de visitantes nos monumentos tem crescido e também tem havido algum paralelismo no número de pessoas a frequentar as atividades” do DiVaM, acrescentou.

A organização criou dois novos ciclos temáticos, como é o caso do Globart DiVaM, que se foca nas artes visuais e dá lugar a eventos como o GlooobalMaps, uma exposição e instalação sobre mapas, e a interculturalidade ou o ADN, um projeto de fotografia performativa na Fortaleza de Sagres.

As experiências e as aprendizagens têm lugar neste programa com o ciclo “Mãos no DiVaM”. Oficinas de mosaicos romanos, sessões de pintura ao ar livre no Castelo de Aljezur e na Ermida de N.ª Sr.ª de Guadalupe, e a “Nova Escola de Sagres” que desafia à construção de caravelas modulares, mapas, relógios de sol, entre outros.

“A forma de abordar o tema é muito diferente conforme as áreas artísticas envolvidas e até nos leva a criar cruzamentos disciplinares muito curiosos”, disse à Lusa Alexandra Gonçalves, acrescentando que estas propostas mostram a grande diversidade, capacidade, criatividade e inovação artísticas dos vários agentes culturais da região.

Propostas que incentivam a visitar ou a revisitar os monumentos algarvios e que convidam a “viver” os espaços históricos da região de uma forma diferente, mais direta, mais pessoal.

O programa, tem um investimento da Direção Regional de Cultura do Algarve para a programação de 52 mil euros, e inclui ainda outras propostas como é o caso dos projetos lúdicos e educativos.

“Tantos Mundos num Só Lugar” foi o projeto que marcou no sábado o arranque do DiVaM 2017.

Um projeto da associação Música XXI com o coral feminino “Outras Vozes”, que procura levar o público pelo caminho da globalização, através da música em língua portuguesa.

Esta edição do DiVaM conta com a participação de 19 associações, da Faculdade de Ciências Humanas e Sociais da Universidade do Algarve, das autarquias de Albufeira, Aljezur, Faro, Portimão e Vila do Bispo, e do Consulado-Geral do Brasil em Faro.

Verifique também

Direção de Cultura do Algarve recupera torre do século XII no castelo de Paderne

O castelo de Paderne vai ser sujeito a uma intervenção para consolidar uma torre do …