Inicio | Igreja | Doentes da Diocese do Algarve realizaram retiro em Fátima

Doentes da Diocese do Algarve realizaram retiro em Fátima

Retiro_doentes_algarve_fatimaOrganizado pelo Santuário de Fátima, através do Serviço de Doentes (SEDO), com a colaboração do Movimento da Mensagem de Fátima (MMF), realizou-se de 15 a 18 de outubro, o retiro anual de doentes para as dioceses do Algarve e de Vila Real.

Retiro_doentes_algarve_fatima (1)Da diocese algarvia esteve presente em Fátima um grupo de doentes oriundos das paróquias de Almancil, Loulé, Olhão, Quarteira, São Luís e São Pedro de Faro, totalizando 42 pessoas enfermas. Foram acompanhadas pelo diácono Rogério Egídio, do Serviço de Assistência Espiritual e Religiosa (SAER) do Hospital de Faro, e por uma equipa de voluntárias membros do MMF, orientadas pela enfermeira Conceição Borges, da equipa diocesana daquele movimento.

O retiro foi orientado pelo diretor do SEDO, o padre Manuel Antunes, com a colaboração do padre Francisco José dos Santos Pereira, capelão do santuário. O encontro teve ainda o apoio de uma equipa de Servitas do Santuário de Fátima, incluindo um médico e enfermeira.

O Santuário de Fátima elabora todos os anos um programa de retiros, alargado a todas as dioceses do país. Os retiros têm a duração de três dias e destinam-se, em especial, a doentes com capacidade de discernimento mental e psíquico, sendo proporcionadas pelo santuário condições especiais com vista a facilitar a participação que incluem transportes a preços reduzidos e a oferta da alimentação, alojamento, assistência médica e cuidados de enfermagem durante as 24 horas de cada dia.

Retiro_doentes_algarve_fatima (2)A componente espiritual inclui a missa diária, a recitação do rosário, a via-sacra pelo percurso até ao Calvário Húngaro, a adoração do Santíssimo Sacramento, conferências espirituais para reflexão e visitas à basílica e à Capelinha das Aparições.

Foi ainda proporcionada aos doentes uma visita guiada à basílica da Santíssima Trindade com explicação da iconografia e à exposição que assinala o quinto ano da celebração do Centenário das Aparições de Fátima e que evoca a quarta aparição de Nossa Senhora nos Valinhos, estando patente até dia 31 deste mês no Convivium de Santo Agostinho. “Neste vale de lágrimas” propõe aos visitantes, a partir das expressões da Salvé-Rainha, uma reflexão acerca do contexto político e ideológico que marcava o país e o mundo na segunda década do século XX. Entendendo a viagem que as três crianças de Aljustrel fizeram a Ourém para serem interrogadas como metáfora viva dos acontecimentos que decorriam em Portugal e no mundo, os visitantes encontraram uma reflexão sobre a Primeira Grande Guerra e sobre a Primeira República.

Os doentes tiveram assim a possibilidade de contactar com objetos que, nesse episódio que mediou entre os dias 13 e 19 de agosto de 1917, Francisco, Jacinta e Lúcia tocaram. Entre muitas peças simbólicas presentes na mostra destacam-se ainda “O Cristo das Trincheiras”, uma farda militar da Segunda Guerra Mundial, a escultura “Jaz morto e arrefece o menino de sua mãe” de Clara Menéres, o terço oferecido a Nossa Senhora de Fátima pelo papa Francisco, em outubro de 2013, e o terço oferecido pelos pescadores das Caxinas, depois do naufrágio de 2011.

Verifique também

Prémio de Jornalismo Dom Manuel Falcão distingue reportagem sobre a festa da Mãe Soberana

A vencedora do Prémio de Jornalismo Dom Manuel Falcão disse à Agência Ecclesia que é …