Pub

O encontro entre o Portimonense e a União de Leiria, da 12.ª jornada da Liga de futebol, foi interrompido no domingo, aos 53 minutos, devido à pouca visibilidade motivada pela falha de energia elétrica, ocorrida ainda durante a primeira parte.

Por acordo entre os clubes, a partida foi reatada às 15:00 de hoje, para que se jogassem os restantes 37 minutos, encontro que a União Leiria acabou por vencer por 2-1.

Em declarações à agência Lusa, a fonte da EDP recusou “qualquer responsabilidade da empresa na avaria”, imputando-a ao Estádio Algarve, proprietário do posto de transformação onde a mesma ocorreu.

“O posto é propriedade do Estádio, entidade responsável pela sua manutenção e reparação onde ocorreu a avaria”, disse a fonte.

Acrescentou que, depois de ter recebido a comunicação no domingo, a empresa enviou ao local um piquete que detetou o problema e “constatou que era dentro do posto de transformação, na qual a EDP não tem qualquer responsabilidade, comunicando o facto aos responsáveis do estádio”.

O Portimonense utiliza habitualmente o Estádio Algarve para a realização dos seus jogos, por impedimento do Estádio Municipal de Portimão, que está a ser adaptado às exigências da Liga para ali disputar os seus encontros, cuja conclusão das obras está prevista para o final do corrente ano.

Fonte do clube algarvio disse à Lusa que o clube desconhece a origem da avaria elétrica, tendo-lhe sido apenas comunicado que “era exterior ao Estádio Algarve e que a mesma esteja a ser reparada pela EDP”.

A mesma fonte acrescentou que o Portimonense “paga cinco mil euros por cada vez que utiliza aquele estádio, seja para jogos ou treinos”.

Lamentou ainda que o treinador da União de Leiria tenha levantado "suspeitas sobre o problema ocorrido no domingo, ao insinuar na conferência de imprensa que seria uma avaria provocada".

Lusa

Pub