Pub

Escola_secundaria_vrsaO empreiteiro geral da obra de modernização da Escola Secundária de Vila Real de Santo António esclareceu hoje que foi “obrigado a suspender a execução da obra” por “atrasos de pagamento da Parque Escolar”.

O empreiteiro geral – formado pelo Agrupamento Complementar de empresa J. Gomes, Telhabel, JFS – fez o esclarecimento numa nota de imprensa enviada à agência Lusa, depois de na quarta-feira pais e alunos da escola terem protestado contra os sucessivos atrasos na conclusão dos trabalhos, promovidos pela empresa pública Parque Escolar.

“O Agrupamento Complementar de empresas J. Gomes, Telhabel, JFS viu-se obrigado a suspender a execução da obra, por duas vezes, em virtude dos atrasos de pagamento da Parque Escolar”, referiu o empreiteiro, frisando que, “no período mais prolongado de suspensão, a obra esteve parada de julho de 2012 a fevereiro de 2013, sem que a Parque Escolar tivesse regularizado os pagamentos”.

A mesma fonte acrescentou que se tem “empenhado fortemente para ultrapassar todos os obstáculos que essa situação criou na escola de Vila Real de Santo António e, apesar de ainda aguardar algumas definições por parte do dono da obra, já tem praticamente concluídas as duas últimas fases desta empreitada”.

O agrupamento de empresas referiu ainda que “as tarefas que estão a ser concluídas não condicionam a receção dessas duas fases, estando reunidas as condições para acolher a comunidade escolar nos novos blocos”, bastando para isso “a vontade da Parque Escolar em rececionar estes blocos, como fez em diversas ocasiões no passado, para que o início do ano escolar se processe com normalidade”.

“Mais se esclarece que nenhuma das empresas que integra esse agrupamento complementar de empresas foi declarada insolvente, como é referido nas notícias, encontrando-se em pleno funcionamento e a levar a cabo as empreitadas que lhe estão confiadas”, sublinhou ainda o empreiteiro.

A Parque Escolar justificou na quarta-feira com dificuldades financeiras do empreiteiro os atrasos verificados na entrega das obras da Escola Secundária de Vila Real de Santo António, no dia em que pais e alunos protestaram contra a demora.

Em resposta à agência Lusa, a empresa, responsável pelas obras de recuperação de dezenas de escolas, remeteu para finais de janeiro do próximo ano o fim das obras ainda em curso, que impedem os alunos de utilizar o segundo bloco de salas de aulas, o refeitório e o ginásio.

“Na execução da segunda fase da obra, o empreiteiro — um agrupamento complementar constituído por três empresas — começou a evidenciar grandes problemas financeiros, tendo duas das empresas entrado em processo de insolvência, o que provocou atrasos muito significativos no cumprimento do plano de trabalhos e levou à aplicação de multas contratuais pela Parque Escolar”, referiu.

A Parque Escolar frisou que, “por este motivo, a segunda fase ainda não se encontra totalmente concluída e prevê-se, “pela continuada dificuldade de mobilização de meios em obra”, que o bloco de sala de aulas e o refeitório que dela fazem parte só estejam concluídos no final de janeiro de 2014.

Pub