Inicio | Igreja | Encontros mensais pós JMJ do Panamá prosseguem no Algarve

Encontros mensais pós JMJ do Panamá prosseguem no Algarve

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

Os encontros mensais pós Jornada Mundial da Juventude (JMJ) do Panamá, que tiveram início em fevereiro passado para assinalar o encerramento daquele encontro dos jovens de todo o mundo com o papa e para refletir sobre a Doutrina Social da Igreja (DSI), têm vindo a ter continuidade na Diocese do Algarve.

Depois do primeiro em Vila Real de Santo António, já se realizou um segundo em Tavira, sobre o tema da família na DSI, e, no passado dia 27 de abril, decorreu em Olhão o terceiro sobre a questão do trabalho.

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

A reflexão foi apresentada desta vez pelo padre Adelino Ferreira, um dos participantes do Algarve na última JMJ. O sacerdote lembrou que a DSI “defende o direito ao trabalho em favor de todos os trabalhadores como condição da dignidade humana”. “Os cristãos devem conviver com o trabalho e torná-lo ocasião de testemunho cristão”, observou, lembrando ser “através do trabalho que o ser humano se descobre capaz de transformar a realidade e de tirar dela também sustento para a sua vida, para si e para os seus”.

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

O assistente do Setor da Pastoral Juvenil da Diocese do Algarve, que promove aqueles encontros, exortou os jovens a esforçarem-se por estudar o pensamento da Igreja sobre os temas sociais, através da DSI. O padre Nelson Rodrigues, que também participou na última JMJ, pediu-lhes também para lerem o discurso do papa Francisco ao mundo do trabalho, proferido num fábrica em maio de 2017.

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

O terceiro encontro pós JMJ 2019 ficaria ainda marcado pelos testemunhos de Dinis Salvador e da coordenadora do Setor Diocesano da Pastoral Juvenil (SDPJ), também participantes no evento mundial no Panamá com o papa Francisco.

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

Vânia dos Santos, que viveu em janeiro a sua segunda JMJ, realçou a importância de participar num encontro com “jovens de vários países com o mesmo objetivo”. “As memórias ficam sempre cá dentro e vão fazer com que as passemos às outras pessoas e com que convidemos os outros a fazer a mesma experiência com Deus”, considerou, aludindo à importância de regressar, trazendo a mensagem do papa para “pô-la em prática”.

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

O ponto alto do encontro foi o momento de oração com adoração ao Santíssimo Sacramento presidida pelo padre Tiago Veríssimo, baseada na vida de São Óscar Romero, mártir e um dos patronos da JMJ, antigo arcebispo de El Salvador.

No final do encontro, o padre Nelson Rodrigues pediu aos jovens que publicassem numa rede social à sua escolha a “ideia síntese” da mensagem do santo que foi meditada ao longo da oração: “Pode demorar, mas o amor de Deus sempre prevalece. Enquanto isso, Ele precisa que nós atendamos aos necessitados e nos coloquemos contra o mal”.

Os encontros pós JMJ terão sequência já este mês em Faro (maio), seguindo-se Quarteira (junho), Loulé (julho), Ferreiras (agosto), Portimão (setembro), Paderne (outubro), Silves (novembro) e Monchique (dezembro), terminando em janeiro do próximo ano com um encontro diocesano na Sé de Faro.

Verifique também

Lausperene da Igreja algarvia concluiu-se com apelo a que se prossiga naquela iniciativa

A Igreja Católica algarvia concluiu na passada sexta-feira a cadeia de oração permanente ao Santíssimo …