Pub

O Crosse das Amendoeiras em Flor fora lançado quatro anos antes (1977), em Vilamoura, mas, quando as Açoteias investiram no desporto e criaram uma pista própria para corta-mato, junto ao aldeamento, aquela competição, que viria a ter grande prestígio internacional, passou ali a realizar-se, por vezes em conjunto com a Taça dos Clubes Campeões Europeus.

Foi ali que a equipa do Sporting, liderada por Carlos Lopes, Fernando Mamede e os irmãos Castro, ganhou alguns dos seus títulos e também o Maratona (masculinos) e o Sporting de Braga (femininos) triunfaram.

Entretanto, uma nova urbanização ocupou aquele espaço e o Cross das Amendoeiras, depois de 17 edições na antiga pista das Açoteias, mudou-se novamente para Vilamoura, onde se realizou entre 1998 e 2003. E, em 2000, foi ali que a Federação Internacional de Atletismo (IAAF) levou a efeito os campeonatos do Mundo.

Em 2004, surgiria uma nova pista de crosse nas Açoteias, ali regressando, no ano seguinte, o Crosse das Amendoeiras, que continua a fazer parte do circuito da IAAF. Em março passado, o Crosse das Amendoeiras foi realizado em simultâneo com os campeonatos de Portugal, como preparação para os campeonatos da Europa, a que a Federação Portuguesa de Atletismo, em colaboração com a Câmara de Albufeira, se candidatara.

A todas estas iniciativas está intimamente ligado o presidente da Associação de Atletismo do Algarve, Artur Lara Ramos, primeiro como diretor-técnico regional, entre 1975 e 2003, e, depois, como presidente da direção, desde 2005 até à próxima semana, altura em que deixará o cargo.

Para estes Europeus, a pista foi encurtada de 2000 para 1600 metros, foram-lhe acrescentados dois pequenos obstáculos e o local da partida foi alterado.

A zona envolvente foi totalmente alterada, já que, além de bancadas para os VIP (300 pessoas) e para a comunicação social – o público tem acesso a grande parte do restante percurso –, foram montadas numerosas tendas, destinadas à organização da competição, aos atletas e à comunicação social.

Lusa

Pub