Pub

A selecção nacional masculina subiu novamente ao pódio colectivo masculino, de onde esteve ausente desde 2007 (obteve então o segundo lugar), registando um oitavo lugar em 2008 e um quinto em 2009.

Para a conquista da “prata” colectiva, contribuiu em muito o terceiro lugar de Youssef El Kalai, natural de Marrocos e naturalizado português, que no mês de Março passado, neste mesmo circuito das Açoteias, em Albufeira, conquistou o título nacional de corta-mato.

Eduardo Mbengani (sétimo, 29.32 minutos), Rui Pedro Silva (oitavo, 29.32) e Rui Silva fecharam a contribuição colectiva, com um total de 35 pontos, enquanto Licínio Pimental foi 27º (30.00) e José Rocha 40º (30.30).

O equilíbrio imperou na corrida masculina, com um grupo extenso, incluindo vários portugueses, a comandar durante as primeiras quatro das seis grandes voltas ao percurso algarvio, num total de 9870 metros.

Na quinta volta, Youssef El Kalai atacou e “mexeu” com os primeiros classificados, mas foi na sexta e última volta que se desenhou a luta final pelo “ouro”, com Lebid a ser mais rápido no “sprint” final (29.15 minutos), superando o espanhol Ayad Lamdassen (29.18)

O ucraniano, 35 anos, o único atleta que participou em todas as 16 edições da prova, revelou-se “muito contente” pelo nono título europeu da sua carreira.

Youssef El Kalai conseguiu o terceiro lugar, com um tempo de 29.19, aguentando a pressão de dois corredores franceses nos metros finais.

“Agradeço a todas as pessoas que me têm apoiado e ajudado desde que vim de Marrocos. Tem sido difícil porque não vejo a minha mãe há dez anos”, disse.

A vitória colectiva foi da França, que conquistou o “ouro” com um total de 33 pontos, seguida da Espanha (desfalcada pela ausência de Alemayeh Bezabeh, campeão em 2009, um dos interrogados, como testemunha, na operação antidopagem desencadeada pelas autoridades espanholas esta semana), com 58 pontos.

Portugal conquistou um total de sete medalhas, quatro individuais (ouro para Jessica Augusto e bronze para Dulce Félix, para o júnior Rui Pinto e Youssef El Kalai) e três colectivas.

Folha do Domingo/Lusa
Pub