Pub

“Fizemos bons resultados nos últimos três jogos, incluindo um saboroso triunfo na Madeira. As nossas pretensões passam por acabar o campeonato com chave de ouro, com uma vitória perante os nossos adeptos, selando assim uma caminhada muito boa”, referiu Daúto Faquirá, na antevisão à partida.

A equipa quebrou na Madeira um longo jejum de 10 partidas sem ganhar, depois de na jornada anterior ter garantido matematicamente a permanência, com um empate (1-1) na receção ao Benfica.

O técnico do Olhanense voltou a elogiar o percurso da sua equipa que, se vencer sábado, somará 17 pontos na segunda volta.

“Depois das muitas contrariedades que tivemos neste período, será uma marca louvável, tendo em conta os 19 pontos da primeira volta, uma marca muito boa. Além de que o objetivo que tracei ao chegar aqui – fazer melhor do que no último campeonato –, já está alcançado, isto sem nunca termos estado abaixo da ‘linha de água’”, salientou.

Em relação ao jogo de domingo, Daúto Faquirá, que conta com mais do que uma dezena de jogadores no boletim médico, espera um duelo equilibrado, apesar de o Rio Ave estar a lutar pela qualificação europeia.

“Vai ser um jogo equilibrado. Ganhámos em Vila do Conde, a um adversário que está bem identificado e conhecemos bem. Cada equipa luta pelos seus objetivos. Respeitamos todos os adversários, mas isso passa-nos ao lado. Na última jornada, o Nacional preparava-se para nos ganhar e fazer a festa, mas nós fizemos o nosso jogo e vencemos”, afirmou.

O Olhanense, 12.º classificado, com 33 pontos, recebe sábado o Rio Ave, oitavo, com 37, em jogo marcado para o Estádio José Arcanjo, às 20.15, com arbitragem de João Ferreira (Setúbal).

Lusa

Pub