Pub

A disputar a Série F da III Divisão, o histórico e centenário clube do Algarve, que entre as temporadas de 1990/91 e 2001/02 disputou a primeira divisão e qualificou-se para a Taça UEFA 1995/96, mas depois acabou por cair para os regionais, vive um momento positivo, como disseram à Lusa o treinador, Manuel Balela, e o capitão de equipa, Eduardo Barão.

“Desculpem-me os benfiquistas, mas Deus queira que o Benfica perca para continuarmos a ser os únicos [invencíveis], mas vamos ver. É uma enorme motivação para nós e, quando entramos no campo, não só queremos vencer o jogo pelos três pontos, mas também por este recorde, se assim se pode dizer, e para ultrapassar um grande nacional que é o Benfica”, afirmou o capitão.

A invencibilidade “funciona em primeiro lugar como motivação” e é um dos objetivos dos jogadores quando entram em campo, disse também o médio, frisando a importância psicológica de estar isolado na frente da tabela e representar um “ clube histórico, centenário e que no Algarve, e de Lisboa para baixo, tem uma mística inigualável”.

“O Farense é o Benfica da terceira divisão, todos querem ganhar ao Farense e nós vamos fazer tudo para ninguém o conseguir”, assegurou Eduardo Barão, que capitaneia um grupo “com um contentamento enorme” pelo alcançou até ao momento.

Mas o jogador não se deslumbra e sublinha que “uma das grandes forças do grupo é estar em primeiro, com uma vantagem grande, saber que nada está ganho” e “jogar apoiado por três a quatro mil pessoas e uma claque fantástica de cento e tal elementos, presente em casa e nos jogos fora”.

O técnico Manuel Balela, que já orientou o clube na sua penúltima época (2000/2001) na primeira divisão, mostra-se satisfeito com as 12 vitórias e quatro empates alcançados em 16 jogos, que permitem à equipa liderar a Série F com 40 pontos, mais 12 que o segundo classificado, o Fabril do Barreiro.

“A razão principal de o Farense estar invencível nesta altura é o plantel e como foi formado. Sou apologista que é da inteira responsabilidade de quem forma o plantel escolher os jogadores para atingir os objetivos, saber as suas qualidades e competências”, explicou o técnico, frisando que “os jogadores são os grandes responsáveis pela situação que se está a viver”.

Manuel Balela afirmou que “o objetivo principal para esta época é a subida de divisão” e o clube “está num caminho que permite chegar a esse objetivo”, mas lembrou que “ainda faltam 16 jornadas – seis desta primeira fase e 10 da segunda – e ainda não está ganho”.

O treinador considerou, no entanto, que o percurso realizado até agora “responsabiliza a ter o mesmo comportamento, atitude e solidariedade” para alcançar os objetivos.

“Estamos a defender um clube com prestígio ao nível nacional e só o facto de representarmos o Farense obriga-nos a que estejamos sempre motivados para atingir o objetivo final de subir de divisão e o imediato ir de jogo a jogo e ganhar os três pontos em disputa”, defendeu.

Lusa

Pub