Pub

Já são conhecidas as sete candidatas algarvias às ‘7 Maravilhas da Cultura Popular’ de Portugal.

No concelho de Faro, as Charolas de Bordeira (na categoria de ‘Músicas e Danças’) e a Festa da Pinha, em Estoi (na categoria ‘Festas e Feiras’); no concelho de Loulé, a cataplana em cobre (na categoria de ‘Artesanato’), a Festa da Espiga, em Salir (na categoria ‘Festas e Feiras’), e a Festa da Mãe Soberana (na categoria ‘Procissões e Romarias’); no concelho de Monchique, a destila do medronho (na categoria ‘Rituais e Costumes’), e no concelho de São Brás de Alportel, a Procissão do Aleluia (na categoria ‘Procissões e Romarias’), são as sete finalistas representantes do Algarve ao concurso nacional.

A organização das ‘7 Maravilhas de Portugal’ recebeu 504 candidaturas à edição deste ano, dedicado à Cultura Popular, e o “Painel de Especialistas”, composto por sete elementos de cada um dos 18 distritos e 2 regiões autónomas, elegeu sete patrimónios de cada região, num total de 140 finalistas regionais, que participarão nas respetivas eliminatórias regionais, em antena a partir do dia 6 de Julho na RTP1 e RTP Internacional.

Estas 20 finais regionais correspondem a 20 programas em direto, a transmitir no mês de julho, a partir dos municípios mais pequenos que estiverem a concurso, onde serão diretamente apurados os 20 vencedores, através do maior número de votos populares.

Segue-se um programa de repescagem, a realizar no dia 16 de agosto, onde o voto popular decidirá quais os oito repescados, a partir dos 20 segundos classificados nas finais regionais. Estes 28 semi-finalistas serão distribuídos por critérios de proximidade geográfica, em duas semi-finais, que irão apurar os 14 finalistas, a realizar nos dias 23 e 30 de agosto. A 5 de setembro será efetuada a Declaração Oficial das 7 Maravilhas da Cultura Popular, na RTP.

Pub