Inicio | Igreja | Festa de Santa Teresa de Jesus foi celebrada também no Carmelo algarvio

Festa de Santa Teresa de Jesus foi celebrada também no Carmelo algarvio

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

A Igreja, e particularmente a Ordem dos Carmelitas Descalços, celebrou na passada segunda-feira a festa de Santa Teresa de Jesus (1515-1582), fundadora do Carmelo Descalço, também conhecida como Santa Teresa de Ávila (Espanha).

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

No Algarve, a solenidade foi celebrada na comunidade das Carmelitas Descalças, no mosteiro algarvio de Nossa Senhora Rainha do Mundo, no Patacão, no concelho de Faro.

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

Na eucaristia, com oração de vésperas, a que presidiu na capela daquele mosteiro, o bispo do Algarve destacou Santa Teresa como “aquela que descobriu a verdadeira sabedoria” que “se cultiva através da oração”. “E o caminho que ela seguiu é aquele que a Igreja quer que nós sigamos também”, acrescentou, D. Manuel Quintas, esclarecendo que “a verdadeira fonte de sabedoria” “é a pessoa de Cristo”. “É o encontro com Ele que nos converte, transforma e cria em nós essa paixão interior, esse fogo”, completou, lembrando que Teresa de Jesus “foi uma mulher inquieta por causa de Cristo, por causa do evangelho, para levar a todos o fogo do amor que sentia no seu coração”.

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

O prelado sustentou ter sido “esta paixão de Teresa que a levou a este caminho interior de conversão profunda”. D. Manuel Quintas acrescentou que esse “caminho interior muito profundo, muito denso, muito sério, muito transformador” trilhado pela santa carmelita “é o da oração”. “Foi algo que só ela experimentou e pôde partilhar com os seus escritos, a sua vida e tudo aquilo que nos deixou”, acrescentou, considerando que Teresa de Ávila tinha um “desejo profundo de se encontrar com Cristo”. “Este caminho na oração é aquilo que nós devemos levar a sério. A oração transforma, converte, cria espaço interior na nossa vida para a presença desta verdadeira sabedoria”, prosseguiu.

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo
Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

D. Manuel Quintas lembrou que “Teresa foi andarilheira pelas terras de Espanha, onde simultaneamente muito caminhou e percorreu neste encontro com Deus”. “Encontrou força e determinação para a grande obra da reforma que pessoalmente empreendeu. Antes de reformar, transformou-se, reformou-se, converteu-se a si mesma”, observou, considerando aquela a santa de Ávila um “dom” à Igreja. “Certamente constitui para nós apelo a crescermos sempre mais nesta descoberta da grandeza do amor de Deus por nós, manifestado em Cristo”, declarou.

A celebração, que terminou com a veneração a uma relíquia de Santa Teresa de Jesus, foi concelebrada pelo frei José António Pereira, sacerdote franciscano, e participada por leigos da Ordem dos Carmelitas Descalços Seculares.

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

Teresa de Ávila nasceu a 28 de março de 1515 e, após ter entrado no convento carmelita de Nossa Senhora da Encarnação, promoveu a renovação da Ordem do Carmo, tendo fundado o primeiro convento da nova família carmelita descalça em 1562, dia em que Teresa mudou de hábito e começou a chamar-se Teresa de Jesus.

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

Verifique também

Peregrinação desafiou famílias das paróquias da vigararia de Loulé a serem “evangelizadoras do amor”

As famílias das paróquias que constituem a vigararia de Loulé peregrinaram no passado sábado a …