Inicio | Economia | Festival gourmet do Vila Joya recebe prémio da Revista de Vinhos

Festival gourmet do Vila Joya recebe prémio da Revista de Vinhos

Chef Matteo Ferrantino na cozinha do Vila Joya
Chef Matteo Ferrantino na cozinha do Vila Joya

O festival internacional gourmet organizado pelo Vila Joya recebeu o prémio de Gastronomia “David Lopes Ramos”, atribuído pela Revista de Vinhos, que distinguiu também os 30 melhores vinhos de 2013, entre os quais oito do Porto.

Os prémios “Os Melhores do Ano 2013”, nos setores do vinho e da gastronomia, da Revista de Vinhos, na sua 17ª edição, foram revelados na sexta-feira à noite, num jantar que reuniu em Lisboa cerca de 800 pessoas, incluindo os principais agentes e personalidades da fileira.

“Um ano inteiro de provas, visitas a adegas e vinhas ajudou à seleção e atribuição destes prémios, da inteira responsabilidade da redação da Revista de Vinhos”, anunciou a organização.

O Vila Joya International Gourmet Festival recebeu o prémio “Gastronomia” com o nome do jornalista e crítico do jornal Público, falecido em abril de 2011. Atribuído há dez anos, este prémio é entregue pela primeira vez a um evento e não a uma pessoa.

O festival organizado pelo Vila Joya, hotel e restaurante com duas estrelas Michelin no Algarve, tem vindo sempre a crescer e, na sua edição do ano passado, a sétima, recebeu quase 1.500 visitantes, que experimentaram pratos preparados por um total de 47 chefs de renome, durante 11 dias.

Entre os prémios, os de “Excelência” distinguem 30 dos que foram considerados os melhores vinhos portugueses no ano passado. Destacam-se oito vinhos do Porto, entre os quais sete Vintage 2011, o que “vem reforçar a excecional colheita deste ano”.

Incluem-se ainda, nesta lista, sete tintos do Douro e sete vinhos do Alentejo, além de três tintos da região da Bairrada, um espumante branco da região de Távora-Varosa, um Alvarinho, um tinto de Lisboa e outro da península de Setúbal, além de um vinho da Madeira.

A Revista de Vinhos distinguiu também “Os Melhores de Portugal”, com um total de 148 vinhos espalhados pelas principais regiões vínicas portuguesas, entre os quais 13 vinhos do Porto, dez Vintage 2011, 25 vinhos do Alentejo e 23 do Douro.

Nos prémios especiais, foi distinguida Filipa Tomaz da Costa, da Bacalhôa (“Mulheres no Pódio”). O enólogo do ano é António Ventura, enquanto o prémio carreira – categoria “Senhor do Vinho” – foi entregue a José Neiva Carreira, “o homem que deu asas para que os vinhos portugueses alcançassem dimensão internacional, com especial impacto no mercado do Reino Unido”.

O “Prémio Identidade e Caráter” foi entregue ao produtor bairradino Luís Pato, que arrecadou prémios em todas as categorias – “Prémios especiais”, de “Excelência”, os “Melhores de Portugal” e “Boas compras”.

A Adega Cooperativa de Borba foi distinguida pela quarta vez, “assumindo-se pela sua ousadia, gestão proativa, visão e uma equipa bem afinada como um caso de estudo para outras cooperativas”, enquanto o “Produtor Revelação” foi a Herdade do Vau (Baixo Alentejo).

Na “Viticultura”, a Quinta da Covela arrecadou o prémio, enquanto o melhor “Enoturismo 2013” é a Quinta do Sanguinhal, na Lourinhã.

Na área da gastronomia, os prémios foram para Rei dos Leitões, na Mealhada (Restaurante Cozinha Tradicional Portuguesa); Vinum, em Vila Nova de Gaia (Restaurante); Loja da Amélia, na Ericeira, em Mafra (Loja Gourmet); Garrafeira da Laje, em Santa Maria da Feira (Garrafeira) e Enoteca de Belém, em Lisboa (Wine Bar).

O Instituto da Vinha e do Vinho (IVV) foi eleito como “Organização Vitivinícola 2013”.

Verifique também

Vilamoura é a nova ‘meca’ da vela e atletas enchem hotéis e restaurantes

Vilamoura está a tornar-se na nova ‘meca’ da vela e a atrair centenas de atletas …