Breves
Inicio | Sociedade | Folha do Domingo em exposição no Brasil de jornais centenários brasileiros e portugueses

Folha do Domingo em exposição no Brasil de jornais centenários brasileiros e portugueses

O jornal Folha do Domingo integra uma exposição conjunta de jornais centenários brasileiros e portugueses, inaugurada no passado dia 18 deste mês no Brasil, na Galeria Baobá, Campus Casa Forte da Fundação Joaquim Nabuco, no Recife, capital do estado de Pernambuco.

A mostra, sob o tema “Jornais Centenários do Brasil e Portugal: um legado cultural”, que ficará patente até ao dia 17 de novembro, reúne 52 jornais com edição continua há mais de um século em circulação no Brasil e em Portugal, sendo 18 títulos brasileiros e 34 portugueses.

A exposição é realizada pela Associação Portuguesa de Imprensa em parceria com a Associação da Imprensa de Pernambuco (AIP) e apoiada pelo Real Hospital Português e Fundação Joaquim Nabuco.

O Diário de Pernambuco, o jornal mais antigo de língua portuguesa e cuja primeira edição, com quatro páginas, surgiu a 7 de novembro de 1825 com a missão de ser um diário de anúncios, é o destaque da exposição, que mostra também títulos como “O Figueirense”, fundado em 1919 e que é o centenário mais recente.

O jornal Folha do Domingo, órgão de comunicação da Diocese do Algarve e o mais antigo em publicação no Algarve, cujo centenário foi celebrado em 2014, foi fundado a 19 de julho de 1914, sob o impulso do então cónego Marcelino Maria Franco (que mais tarde viria a ser bispo do Algarve) com o apoio do bispo do Algarve da altura, D. António Barbosa Leão.

Para João Palmeiro, presidente da Associação Portuguesa de Imprensa (API), “pela importância histórica destes jornais, pretendemos candidatá-los a Memória do Mundo, que é o programa da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO) para os documentos”.

O mesmo considerou que agora é preciso pôr de acordo as comissões nacionais da UNESCO do Brasil e Portugal, e manifestou também a expectativa de poder vir a envolver neste projeto a comissão nacional espanhola para que “dentro de muito pouco tempo” a UNESCO reconheça este acervo dos jornais centenários.

O presidente da API pediu o apoio da Fundação Joaquim Nabuco, uma instituição pública de ensino e investigação ligada ao Ministério da Educação do Brasil, tendo recebido, de imediato, do presidente da fundação, António Campos, também presente na inauguração, a garantia de assessoria técnica na preparação da candidatura.

Para Múcio Aguiar, responsável pela Associação da Imprensa de Pernambuco, “fazer uma exposição com tamanha representatividade, com jornais vivos e impressos, é algo que nunca foi realizado em nenhum canto do mundo e isso enche-nos de orgulho”.

No contexto da candidatura a Património Imaterial Cultural dos títulos da imprensa portuguesa, os jornais centenários portugueses já estiveram em exposição no Parlamento Europeu, em Bruxelas, em julho de 2017, e foram também homenageados pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, no dia 25 de abril do mesmo ano, no Palácio de Belém. Em 2018 estiveram também em exposição na Assembleia da República.

A inauguração contou ainda com a presença do presidente da Associação de Imprensa de Inspiração Cristã, Paulo Ribeiro, da qual são associados Folha do Domingo e vários outros jornais centenários portugueses.

Verifique também

Acidente desta tarde na Via do Infante causa três mortos e dois feridos graves

O acidente que hoje à tarde envolveu quatro carros na Via do Infante (A22), em …