Pub

A Câmara de Portimão anunciou que o futuro Cemitério Municipal, a construir no sítio do Malheiro, vai ter um crematório, cuja proposta para a concessão, conceção, execução e exploração foi ontem aprovada em reunião de câmara.

Recorde-se que a autarquia decidiu avançar simultaneamente com dois procedimentos, por um lado o de elaboração do projeto global do novo cemitério, este em fase final de adjudicação, e o por outro lado o da concessão da conceção, construção, gestão, exploração e conservação do crematório.

“O novo cemitério vai ocupar um terreno camarário com cerca de 47.000 m2 e estará dotado de um alargado leque de soluções e valências, de modo a proporcionar aos munícipes opções condizentes com as suas convicções e livre escolha, entre as quais a possibilidade de cremação”, refere a nota de imprensa enviada pela edilidade, acrescentando que “a cremação é hoje em dia uma prática considerada vantajosa, nomeadamente do ponto de vista sanitário, estando previsto que o crematório, com uma área de 400 a 500 m2, faça parte do edifício técnico-administrativo do cemitério e tenha funcionamento autónomo”.

“Face às especificidades deste tipo de equipamentos e às restrições na contratação de recursos humanos, a Câmara atribuirá, por concurso público, a respetiva conceção, construção, gestão, exploração e conservação a uma entidade que disponha de qualificações para o exercício de atividade funerária, nos termos previstos no decreto-lei 10/2015, de 16 de janeiro”, acrescenta o documento.

A autarquia explica ainda que “o financiamento de todas as atividades que integram a concessão incumbe à concessionária, a quem competirá promover, de acordo com as disposições técnicas definidas pelo Município e pela legislação aplicável, a elaboração dos estudos e projetos e a realização das obras abrangidas”.

“Importa ainda referir que o estabelecimento da concessão é explorado em regime de serviço público e que o contrato inclui uma contrapartida financeira a entregar pelo concessionário ao Município”, complementa.

Depois de aprovada pela autarquia, esta proposta apresentada segue agora para a Assembleia Municipal, para discussão e para que esta autorize a correspondente concessão por um prazo de 30 anos, tornando Portimão uma das cidades algarvias a dispor de crematório.

Pub