Pub

Foto © Samuel Mendonça

Realizou-se no passado sábado em Boliqueime o I Encontro das Cáritas Paroquiais e Diocesana do Algarve.

A iniciativa, que teve lugar numa sala da igreja paroquial local, para além da presença da Cáritas Diocesana que organizou o encontro e da Cáritas da paróquia anfitriã, contou com a presença das Cáritas paroquiais da matriz de Portimão e de São Brás de Alportel, faltando apenas a Cáritas Paroquial de Cachopo, a Cáritas Paroquial de São Bartolomeu de Messines e a Cáritas Paroquial de Nossa Senhora do Amparo de Portimão.

Foto © Samuel Mendonça

O presidente da Cáritas Diocesana explicou ao Folha do Domingo que o encontro, que deverá passar a ser anual, visou fazer uma primeira abordagem à realidade, tanto ao nível diocesano como paroquial, por forma a criar “um maior espírito de comunhão na ação”. Carlos Oliveira adiantou que um dos objetivos da jornada é promover uma melhor articulação entre a estrutura diocesana e as paroquiais. “Vamos criar uma ligação, dando conhecimento à Caritas Diocesana de tudo aquilo que se faz, para que possamos quantificar e perceber o custo dessa ação. É preciso dar a conhecer à diocese e a cada comunidade paroquial aquilo que efetivamente os grupos caritas fazem”, anunciou.

Aquele responsável lembrou ainda que “na diocese não estavam organizadas, até há bem pouco tempo, estruturas paroquiais da Cáritas”. “Estando agora organizadas e em funcionamento algumas Cáritas paroquiais, decidiu-se fazer este encontro”, justificou Carlos Oliveira, lembrando que as Cáritas paroquiais algarvias foram constituídas na última década, à exceção da sedeada na paróquia de Nossa Senhora do Amparo que é anterior.

Foto © Samuel Mendonça

Não obstante congratular-se e animar a existência de grupos da pastoral sóciocaritativa nas paróquias, aquele dirigente disse ainda ser obrigação da Cáritas Diocesana a criação de Cáritas paroquiais nas comunidades que entendam receber a instituição. Neste sentido, Carlos Oliveira acrescentou que contactos com alguns párocos e com os respetivos grupos paroquiais indicam que outras Cáritas paroquiais poderão vir a ser constituídas no Algarve, sem querer adiantar quais.

No encontro de sábado, o assistente da Cáritas Diocesana referiu-se, de manhã, à espiritualidade própria da instituição, sublinhando a importância da caridade, e, na parte da tarde, foram tratadas questões técnicas e feita uma partilha do trabalho de cada uma das organizações presentes.

Pub