Inicio | Igreja | II Jornadas da Pastoral da Pessoa com Deficiência apelaram à esperança

II Jornadas da Pastoral da Pessoa com Deficiência apelaram à esperança

Jornadas_pastoral_pessoa_deficiencia_2015 (2)
© Samuel Mendonça

As II Jornadas da Pastoral da Pessoa com Deficiência, promovidas pela Igreja do Algarve no passado domingo, constituíram um apelo à esperança.

“Há que renovar a esperança todos os dias porque aquilo que se vê é mais escuro do que claro”, desafiava Maria Isabel do Vale do Serviço Pastoral a Pessoas com Deficiência (SPPD), uma valência da Comissão Episcopal da Pastoral Social e da Mobilidade Humana criada em novembro de 2010 pela Conferência Episcopal Portuguesa para “agilizar e promover a integração das pessoas com deficiência na vida da Igreja e também para que a Igreja se abrisse a receber as pessoas com deficiência”.

A iniciativa, promovida pela Diocese do Algarve através da futura equipa diocesana da Pastoral a Pessoas com Deficiência em colaboração com o SPPD, voltou a ter lugar na paróquia das Ferreiras, concelho de Albufeira, à semelhança da primeira edição.

No encontro, Maria Isabel do Vale lembrou que os objetivos daquele serviço passam pela articulação com outros serviços da pastoral como a família, a juventude, a liturgia ou a catequese. A “construção de uma rede de dinamização do serviço ao nível das dioceses”, “conhecer a realidade da participação das pessoas com deficiência na vida da Igreja”, por exemplo através de um “levantamento das pessoas com deficiência existentes em cada paróquia e freguesia”, a “construção de um sítio na internet” e a “dinamização da reflexão científica, em particular teológica, sobre as problemáticas das deficiências a diversos níveis”, são algumas das atividades previstas.

“Isto é uma coisa muito complexa para nós, mas noutros países já tem 50 anos. Em Portugal está tudo por fazer e vamos ter de encontrar parcerias”, constatou, congratulando-se com o facto de a Diocese do Algarve estar em processo de constituição de uma equipa diocesana para este efeito, sendo a segunda diocese portuguesa (a primeira foi Bragança) a fazê-lo.

Sinal de esperança foi também a campanha do último Advento, desenvolvida pelo Setor da Catequese da Infância e Adolescência da Diocese do Algarve em parceria com o SPPD. Anabela Nobre, do Serviço Diocesano de Pastoral a Pessoas com Deficiência (SDPPD), deu conta que “a maioria das paróquias do Algarve caminhou no sentido de olhar a pessoa com deficiência” e a iniciativa “chegou a muita gente e tocou os corações”, em particular as crianças que “participaram com entusiasmo”. Os cerca de 50 participantes no encontro, oriundos, para além da Santa Casa da Misericórdia de Albufeira, das paróquias de Boliqueime, Ferreiras, Fuseta, Loulé, Paderne e Sé de Faro, testemunharam a perceção da implementação campanha do Advento nas suas comunidades.

Na tertúlia que orientaram, iniciada com a visualização do vídeo “The eyes of a child”, Leonor Mendonça, do SDPPD, e Tiago Casaleiro, do SPPD, alertaram para a necessidade de “desligar o «complicómetro»”. “Porque é que complicamos tanto? Porque é que, quando vou para a escola do Afonso, sou a mãe do “caso”?”, questionava Leonor Mendonça, explicando que a turma do filho é mais reduzida do que as restantes porque tem um “caso”. Precisamos de descomplicar”, considerou, reconhecendo que “a diferença mete medo” e sublinhando que as famílias das pessoas portadoras de deficiência “tiveram que conquistar um lugar”.

“Para integrar esta problemática na pastoral da Igreja, normalmente pensa-se em criar uma rampa na igreja”, lamentou Tiago Casaleiro, lembrando ser preciso perceber por que é que as pessoas portadoras de deficiência não vão à Igreja e a importância da sua integração. “Se somos chamados a ser comunidades que têm que acolher mas somos uma força de bloqueio desse acolhimento, então alguma coisa tem de mudar”, constatou, apontando à necessidade de “refletir muito até na questão dos sacramentos”.

O encontro, subordinado ao tema “Senhor, todos Te procuram”, teve continuidade com uma conferência do padre António Manuel Martins, docente da Faculdade de Teologia da Universidade Católica Portuguesa, sobre o tema “O dom de um Deus frágil” e, após o almoço partilhado, realizou-se um convívio que contou com uma representação da Casa da Paz e Lar de São Vicente da Santa Casa da Misericórdia de Albufeira.

As jornadas terminaram com a celebração da eucaristia, presidida pelo padre Joel Teixeira, pároco de Ferreiras e assistente espiritual do SDPPD, e concelebrada pelos padres António Manuel Martins e Pedro Manuel, na qual foi feita uma alusão à referência às pessoas com deficiência que o Papa fez na sua Mensagem para 49.º Dia Mundial das Comunicações Sociais.

Verifique também

Paróquia das Ferreiras acolhe Oficina de Oração e Vida

A paróquia das Ferreiras está a acolher uma Oficina de Oração (TOV) e Vida desde …