Pub

O presidente da Câmara de Tavira, Jorge Botelho, disse à agência Lusa que se trata de “um centro coordenador de proteção e socorro”, acrescentando que só irá vai haver dois no Algarve, um em Tavira e o outro em Monchique.

“Vai dar obviamente alguma proteção às zonas da serra, sendo nós aqui o pólo aglutinador de todo o sotavento do Algarve”, considerou o autarca.

Jorge Botelho frisou que o Grupo de Intervenção de Protecção e Socorro (GIPS) já está atualmente na freguesia de Cachopo, “mas tem estado instalado em contentores”.

Nesse sentido, o presidente da câmara adiantou que o quartel será construído no âmbito de uma candidatura conjunta dos 16 municípios da Comunidade Intermunicipal do Algarve (AMAL) e permitirá que “Tavira tenha uma plataforma da proteção civil com helicóptero e um quartel para pôr os GIPS em Cachopo com alguma estabilidade”.

O esforço financeiro da autarquia para a construção do quartel será, segundo o autarca, de meio milhão de euros.

“O projeto já existe, a candidatura está feita (…) e esperamos que até ao fim do ano esteja aprovada”, disse.

A previsão de Jorge Botelho é que “o projeto se desenrole durante o ano de 2012 e que o concurso seja lançado este ano”.

Lusa

Pub