Pub

O ministro Jorge Lacão foi ontem à noite a Faro para participar num plenário com os militantes socialistas algarvios para fazer uma análise da situação política e perspectivar o desenvolvimento da acção do Governo, mas também promover "um combate político permanente".

Questionado sobre as críticas que o líder do PS/Algarve lançou esta semana ao Governo sobre o Algarve ter perdido "peso institucional" ao nível da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional, Turismo e Comunidade Intermunicipal, Jorge Lacão desdramatizou, recordando que o "país tem uma tradição centralista".

O líder do PS/Algarve, Miguel Freitas, declarou esta segunda-feira que o Algarve "perdeu peso institucional" ao nível da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional, Entidade Regional do Turismo e Comunidade Intermunicipal e alegou o "reforço das competências" daquelas estruturas.

"Há um definhamento crescente da administração desconcentrada do Estado, uma tentativa para reduzir drasticamente a autonomia da Entidade Regional de Turismo do Algarve, uma não assumida Agência Regional e uma esgotada Associação de Municípios", afirmou no jantar para assinalar o ano de 2010.

Sobre as críticas do PS/Algarve, Jorge Lacão recordou que os algarvios têm naturalmente uma atitude tradicional de reivindicação quanto ao sentido de descentralização.

"Nós sabemos das ambições regionalistas que existem no Algarve e é muito evidente que um dirigente distrital ponha a tónica naquilo que são os objectivos de aproximação dos serviços públicos e dos centros de decisão às populações regionais", declarou o ministro.

Jorge Lacão referiu que no nosso país há uma tradição centralista e enquanto se "não revelar politicamente possível a regionalização, há muitos aspectos dessa descentralização que são ainda mitigados".

Pub